Reencarnação do Dalai Lama precisará da autorização da China

O governo comunista da China deverá ratificar o sucessor reencarnado do Dalai Lama após a morte do atual líder espiritual do budismo tibetano, declarou Legqoq, uma das principais autoridades oficiais tibetanas.

AFP |

"Paralelamente aos rituais religiosos e às tradições históricas, há uma condição muito importante para a reencarnação do Dalai Lama, que é o aval do governo central", afirmou à agência oficial Xinhua (Nova China).

Legqoq (nome completo) fez a declaração à margem da sessão anual do Parlamento chinês, que este ano coincide com os 50 anos da revolta tibetana contra Pequim, que provocou o exílio na Índia do atual Dalai Lama.

Legqoq completou que a Comissão Estatal de Assuntos Religiosos estabeleceu em 2007 regras segundo as quais a reencarnação dos "Budas viventes", ou lamas, deve ser aprovada pelo governo.

As regras são parte do esforço do governo chinês para reforçar o controle sobre o budismo tibetano, que há décadas exige mais liberdade religiosa.

sai/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG