Reduto opositor começa preparação para referendo no Equador

Guayaquil (Equador) 27 set (EFE).- As Forças Armadas do Equador começaram hoje a organizar na cidade de Guayaquil, considerada o reduto da oposição, as urnas para o referendo constitucional de amanhã.

EFE |

Em Guayaquil, cidade mais povoada do país, com mais de três milhões de habitantes e 2,3 milhões de eleitores, se concentra a oposição ao projeto de nova Constituição impulsionado pelo presidente Rafael Correa.

O Tribunal Eleitoral da província de Guayas, cuja capital é Guayaquil, apronta os detalhes para o referendo e começou a transferir material eleitoral aos diferentes colégios.

Os militares devem enviar 10.484 caixas com as cédulas de votação, certificados e censos dos 2.347.546 habitantes da cidade que podem ir às urnas.

Fontes do tribunal informaram que devem entregar todo o material eleitoral pela província até a madrugada de domingo.

"As 10.484 urnas foram guardadas todo o tempo pelas Forças Armadas", disse à Agência Efe Rubén Rodríguez, coordenador do departamento de Mecanismo Eleitoral do Tribunal de Guayas.

Também hoje, o Tribunal Eleitoral da província equatoriana de Pichincha, cuja capital é Quito, denunciou que pessoas não identificadas ingressaram na sede do organismo e roubaram dois computadores nesta madrugada.

O presidente desse tribunal, Jaime Pazmiño, assegurou em comunicado que o roubo dos computadores não afetará o desenvolvimento do processo eleitoral de amanhã e informou que uma pessoa foi detida.

Neste domingo, 9.754.883 equatorianos estão convocados às urnas para decidir sobre o projeto de nova Constituição de Correa que, uma vez aprovado, será a 20ª Carta Magna da história do país. EFE jc/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG