As regiões dos oceanos tropicais com reduzida quantidade de oxigênio estão se expandindo, o que restringe o hábitat de peixes e outras formas de vida marinha, revelou uma pesquisa realizada por uma equipe científica internacional e divulgada nesta quinta-feira.

Os pesquisadores descobriram que os níveis de oxigênio entre 300 e 700 metros de profundidade declinaram, significativamente, nas últimas cinco décadas.

"Os impactos ecológicos dessa situação podem ter substanciais conseqüências biológicas e econômicas", de acordo com o resumo do estudo.

A equipe de oceanógrafos informou que ainda não está claro se a redução dos níveis de oxigênio pode estar relacionada à mudança climática, conforme estudo publicado na edição de 2 de maio da revista "Science".

"Continua sendo um tema a resolver: se essas mudanças observadas no oxigênio podem ser atribuídas apenas ao aquecimento global. A redução de oxigênio também pode ser causada por processos naturais em escalas de tempo mais reduzidas", comentou o co-autor do estudo Lothar Stramma, do Instituto de Ciências Marinhas de Leibniz, em Kiel, na Alemanha.

A maior diminuição nos níveis de oxigênio foi registrada no nordeste do Atlântico, mas também houve mudanças, ainda que menos dramáticas, no leste do Oceano Índico, apontou o estudo.

As áreas pouco oxigenadas podem alcançar zonas costeiras por correntes que emanam de oceanos tropicais, alertou a co-autora Janet Sprintall, do Instituto de Oceanografia Scripps, da Universidade da Califórnia, em San Diego.

js/tt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.