Redes sociais e suportes móveis são apontados como o futuro da web

MARDRI - World Wide Web nasceu há 20 anos e, embora seu crescimento tenha sido muito rápido, seu futuro é ainda mais amplo e promissor, principalmente nas redes sociais e nos suportes móveis, afirmou hoje seu criador, Tim Berners-Lee, na abertura do Congresso Internacional www2009.

EFE |

Em um auditório do Palácio Municipal de Congressos de Madri repleto de especialistas em telecomunicações, o pai da rede expôs suas previsões sobre a internet em dois âmbitos: suas aplicações em telefonia celular e o desenvolvimento de redes sociais.

Em uma sociedade que atravessa uma crise em nível global, Tim Berners-Lee disse esperar que a web 3.0 - sucessora da atual web 2.0, mãe das redes sociais - cresça por meio de uma intercomunicação mundial sem precedentes na qual as barreiras idiomáticas serão derrubadas.

Esta ruptura fará com que a sociedade da comunicação se amplie com páginas que tenham um design mais simples, além de mais protocolos de segurança e de uma maior velocidade de acesso e download de todo tipo de arquivo.

A web, que em sua origem foi uma maneira de trocar textos dentro da comunidade científica, se transformou em um espaço no qual internautas de todo o mundo fornecem e têm acesso à informação em todas as línguas e se comunicam graças aos chats e aos e-mails.

Entretanto, Berners-Lee estima que, da forma como a internet se desenvolve atualmente, analisar seu futuro chega a ser um atrevimento, ideia compartilhada por um dos pais da internet e vice-presidente do Google, Vinton Cerf.

Durante entrevista conjunta concedida na abertura do www2009, que termina sexta-feira, Berners-Lee e Cerf contaram que, para eles, a web representa "a oportunidade de desenvolvimento" social, econômico e político para qualquer nação. A palavra "democracia" teve espaço no congresso tanto quanto as novas aplicações da web.

Quanto aos avanços técnicos, Berners-Lee explicou que o futuro é se conectar por meio do telefone celular, já que o aparelho é "muito barato nas nações em desenvolvimento" e pode funcionar como "um grande servidor" de informação e comunicação.

Diante de tal expansão de internet - descrita por Cerf como um "mundo maravilhoso para a informação" -, estes dois pioneiros lembraram a necessidade de resguardar a segurança e a privacidade.

O vice-presidente do Google defendeu a implementação de medidas tais como o controle governamental para "proteger o acesso" aos conteúdos, "a prevenção em nível tecnológico", a punição para quem cometer crimes na rede e "proteger a propriedade intelectual".

Para Berners-Lee, em uma era com "mais internet, mais velocidade e mais internautas", a informação chegará "em tempo real" a um maior espectro de população que, além disso, receberá conteúdo em suportes como telefones celulares ou em outros que ainda parecem coisa de ficção científica - um par de óculos, por exemplo.

Segundo os dois pesquisadores, este futuro de uma rede mais simples e universal é "promissor". Berners-Lee diz que a chave é "construir uma plataforma para as gerações futuras, cada vez mais aberta e comunitária", com um desenho mais simples e uma conexão "rápida e barata".

Leia mais sobre internet

    Leia tudo sobre: internet

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG