Reconstrução do Haiti levará décadas, diz ONU

O chefe interino da missão da ONU no Haiti, Edmond Mulet, afirmou nesta sexta-feira que os esforços de reconstrução do país depois do terremoto vão levar várias décadas.

BBC Brasil |

"Acredito que serão necessárias muitas décadas, em vez de apenas dez anos, este foi um enorme retrocesso no desenvolvimento do Haiti. Não vamos começar do zero, vamos começar abaixo do zero", afirmou Mulet em entrevista à BBC.

Mulet participou de uma cerimônia em Porto Príncipe em homenagem aos 85 funcionários da organização mortos no terremoto - que atingiu o país no dia 12 de janeiro. Outras dezenas de funcionários da organização continuam desaparecidos.


País ficou devastado após terremoto de 12 de janeiro / AP

Na cerimônia, Mulet leu uma mensagem do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

"A vocês eu digo: estamos com vocês em espírito. Para aqueles que já não estão entre nós, eu digo: nunca vamos nos esquecer de vocês."
Mulet disse aos funcionários da ONU que seus esforços "são a homenagem mais sincera e eloquente para aqueles que deram suas vidas pela missão.

Até 200 mil pessoas morreram no terremoto que atingiu o Haiti. Cerca de 1,5 milhão de pessoas perderam suas casas.

'Pesadelo'

Depois da cerimônia, Mulet afirmou à BBC que a logística dos trabalhos de resgate e ajuda humanitária no país são como um "pesadelo", mas afirmou que os funcionários da ONU estão conseguindo superar os obstáculos.

"Cada vez mais, todos os dias, você pode ver mais e mais policiais haitianos, trabalhando com nossos soldados e mais água sendo distribuída, então é uma questão de tempo para coordenarmos todos estes elementos", afirmou.

Mulet afirmou que áreas nos arredores de Porto Príncipe estão sendo preparadas para a cosntrução de grandes acampamentos para os desabrigados.

"O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) identificou um lugar perto de Porto Príncipe, em Croix du Bouquet, e estamos trabalhando com engenheiros da Minustah (Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti), com os engenheiros brasileiros da missão identificamos um pedaço de terra e já estamos trabalhando nisto".

Segundo ele, os acampamentos serão capazes de receber cerca de 30 mil pessoas.

Para enfrentar a estação das chuvas no país, Mulet disse que já foram encomendadas barracas especiais, mais fortes.

"A estação das chuvas vai chegar aqui dentro de quatro meses e, como você sabe, no Haiti (existe) a temporada de furacões. A temporada das chuvas é muito ruim, então temos que trabalhar nisto. E precisamos de 200 mil barracas".

Veja também:

Leia mais sobre: terremoto

    Leia tudo sobre: haiti

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG