O IRS, o serviço fiscal americano, está questionando certas transações da unidade de projetos financeiros da seguradora AIG, que permitiam a bancos e à própria AIG obter benefícios de reduções fiscais, informou nesta terça-feira o Wall Street Journal.

Instituições que recentemente obtiveram fundos públicos teriam utilizado os serviços propostos pela AIG para reduzir os impostos que pagavam nos Estados Unidos e na Europa, informa o WSJ citando fontes ligadas ao caso.

Muitas formas de transações entre estabelecimentos norte-americanos ou estrangeiros e filiais da AIG situadas no exterior permitiam às duas partes reclamar reduções fiscais em seus países de origem, segundo o jornal.

Estes bancos estavam relacionados com a unidade de produtos financeiros da AIG, a mesma cujos executivos receberam 165 milhões de dólares de bônus, apesar de ter serem responsáveis pelas perdas históricas registradas pela seguradora no ano passado.

jug/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.