Recado do Quarteto: retomem conversações

O secretario geral das Nações Unidas, Ban ki-Moon, trouxe de Moscou recado do Quarteto ¿ Estados Unidos, Russia, União Europeia e Nações Unidas - de que esperam retomada das negociações de paz entre Israel e Palestinos logo para que, em quatro meses, sejam possiveis negociações diretas.

Nahum Sirotsky, correspondente iG em Israel |

De imediato, pelo sistema de proximidade sugerida pelos americanos, é preciso viabilizar negociações diretas que resultem  na proclamação do estado palestino independente dentro de dois anos.

A recomendaçao do Quarteto, em tom de determinação, foi transmitida publicamente quando Ban foi recebido pelo presidente Shimon Peres  em nome do governo. Perez, que foi o primeiro a falar, declarou que não há muito tempo e urge começar já. Também destacou que a preferencia dos israelenses seria por negocioções diretas. 

Ban disse que o Quarteto espera que Israel nada faça que prejudique a  retomada e exige que o Hamas, Frente Palestina de Resistencis Islâmica, suspenda os ataques por misseis qassams enquanto a Israel  pediu que alivie o cerco à Gaza. Peres disse que Israel faz o possivel mas tem de considerar a segurança de sua populaçao.

Sábado, até as 21h locais, quatro misseis haviam caido no sul de Israel. Fontes isralenses não citáveis, estimam que isto seja sinal de que o Hamas não mais tem o domínio absoluto de Gaza, por não ser do interesse da organização, como não é de Israel, que a questão da segurança do sul de Israel, que abrange cidades e importantes alvos de valor estratégico, motive mais violências mutuas. Seriam outros   grupos islâmicos mais extremados os autores e passa a ser provavel    que os mísseis hoje lançados não tenham resposta.

Bibi Netanyahu, o chefe de governo, viaja domingo aos Estados Unidos  jusficado por previo compromisso de discursar para influente loby judeu, mas já se antecipa que terá encontros com o presidente Obama e, provavelmente, com Hillary Clinton, que foi a pessoa e o meio utilizado  por Obama para pressões sobre Netanyahu relacionadas com anunciada intenção israelense de contruir mais de milhar de habitações em  setor   da parte antiga de Jerusalem.

Os palestinos processaram afirmando que não negociam em tais condições. Existiria carta de Bibi admitindo um recuo. O Ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, foi instado pelo secretario da Defesa  americano a vir a Washington na vinda de Netanyahu. Nada se sabe  do motivo.

Firma-se a impressão de que a retomada de conversações é urgente, pois o ambiente atual na região favorece o aumento das tensões já altas e a escalada de violência. Domingo chega e George Mitchel, o   enviado especial de Obama ao conflito devera ter encontro com Bibi  antes do embarque do chefe de governo israelense para Washington. Estão botando mais do que água na fervura.

    Leia tudo sobre: gazaisraelpalestinaquarteto de madrid

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG