Rebeldes xiitas libertam soldados detidos após confrontos no Iêmen

Sana, 17 mar (EFE).- Os rebeldes xiitas no norte do Iêmen libertaram na noite desta terça-feira (pelo horário local) 178 soldados que haviam sido detidos durante os confrontos que tiveram com o Exército na província nortista de Saada, informaram fontes governamentais.

EFE |

As fontes, que pediram anonimato, fazem parte de um comitê encarregado de observar o cessar-fogo entre rebeldes e o Governo de Sana. Elas explicaram à agência Efe que os militares libertados foram entregues ao chefe do comitê, Ali Qersha, e depois transferidos de avião à capital iemenita, Sana.

A libertação dos soldados seguiu o acordo assinado no último dia 12 de fevereiro, entre o Executivo de Sana e os rebeldes hutis, para o fim dos confrontos entre as partes no norte do país, perto da fronteira com a Arábia Saudita.

O Executivo apresentou, no dia 31 de janeiro, uma lista de condições para o cessar-fogo, aceitas pelos hutis. Entretanto, houve vários conflitos armados após sua entrada em vigor.

Os requisitos eram uma retirada rebelde das zonas controladas, a reabertura das passagens que levam ao norte - reduto dos insurgentes -, libertação dos prisioneiros, devolução do equipamento militar capturado do Exército e a não interferência na Administração local.

O conflito armado entre os hutis e o regime iemenita acontece desde 2004, e desde então houve confrontos intermitentes entre eles.

Em 11 de agosto do ano passado, o Exército iemenita lançou uma ofensiva por terra e ar para atacar os insurgentes, causando combates que tiveram a participação da Arábia Saudita e que deixaram centenas de mortos e milhares de desabrigados. EFE ja/fm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG