Rebeldes tuaregues desmentem envolvimento em seqüestro de enviado da ONU

Johanesburgo, 17 dez (EFE).- O grupo rebelde tuaregue Frente de Forças de Recuperação (FFR) desmentiu que esteja envolvido no seqüestro do enviado especial da ONU para o Níger, o diplomata canadense Robert Fowler, apesar de ter reivindicado inicialmente a autoria do ato.

EFE |

"A tomada de reféns, precisamente do senhor Fowler, não pode ser atribuída a nosso grupo, já que lutamos contra esse tipo de prática que pertence a outra época", afirma um comunicado assinado pelo presidente do FFR, Mohammed ag Aoutchiki, publicado em seu site.

Antes, o mesmo grupo insurgente tinha reivindicado o seqüestro do representante da ONU em outro comunicado, este assinado por outro líder dos rebeldes, Rhissa ag Boula.

No entanto, Aoutchiki declarou depois que "o FFR não assume a responsabilidade deste ato", realizado por outros movimentos que atuam na região e que "podem se sentir identificados com os ideais de nossa organização".

Fowler desapareceu no domingo com outro diplomata, Louis Guay, e dois acompanhantes, quando estavam cerca de 50 quilômetros ao nordeste de Niamey, a capital do país. EFE hc/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG