Os tigres tâmeis, grupo rebelde do Sri Lanka responsável pela morte de quase 4.000 pessoas nos últimos dois anos, estabeleceram silenciosamente uma presença nos Estados Unidos, que os ajuda a financiar sua campanha separatista, revela o jornal The Washington Times.

Com base em fontes do governo americano, o jornal afirma que a organização tenta obter armas antiaéreas, rifles automáticos, lança-granadas, munição, explosivos e outros equipamentos militares calculados em milhões de dólares.

O ministro dos Transportes do Sri Lanka, Jeyaraj Fernandopulle, morreu no domingo em um atentado suicida atribuído pelo governo aos separatistas tâmeis em uma cidade próxima a Colombo, que também matou outras 11 pessoas e deixou 50 feridos.

Em conflito desde 1972, os tigres tâmeis, hinduístas, combatem pela independência do norte e nordeste do Sri Lanka, um país habitado em 75% de cingaleses budistas.

mk/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.