Rebeldes muçulmanos matam 4 e ferem 33 na Tailândia

(atualiza número de mortos). Bangcoc, 8 jun (EFE).- Pelo menos quatro pessoas morreram e 33 ficaram feridas em diversos ataques perpetrados nos últimos três dias por supostos rebeldes muçulmanos no sul da Tailândia, informaram hoje fontes policiais.

EFE |

Um camponês muçulmano de 39 anos foi baleado hoje e morreu quando trabalhava em uma plantação em Yala, uma das três províncias de maioria islâmica na budista Tailândia.

Antes, sete soldados ficaram feridos em um atentado à bomba perpetrado contra eles quando escoltavam um professor em Narathiwat, outra província muçulmana.

Os professores, junto com a Polícia e o Exército, são os grupos mais castigados pela violência islâmica, por serem considerados os artífices da imposição dos valores budistas pelo Governo.

Os outros incidentes aconteceram no sábado passado.

O primeiro-ministro tailandês, Abhisit Vejjajiva, viajou hoje à Malásia para abordar o conflito armado nas províncias muçulmanas de Pattani, Yala e Narathiwat, que foram incorporadas à Tailândia no começo do século XX.

Os ataques com armas leves, assassinatos e atentados com bomba, acontecem diariamente nessas três províncias sulinas, apesar dos mais de 31 mil agentes das forças de segurança e da declaração do estado de exceção. EFE grc/ma/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG