(atualiza número de mortos). Bangcoc, 8 jun (EFE).- Pelo menos quatro pessoas morreram e 33 ficaram feridas em diversos ataques perpetrados nos últimos três dias por supostos rebeldes muçulmanos no sul da Tailândia, informaram hoje fontes policiais.

Um camponês muçulmano de 39 anos foi baleado hoje e morreu quando trabalhava em uma plantação em Yala, uma das três províncias de maioria islâmica na budista Tailândia.

Antes, sete soldados ficaram feridos em um atentado à bomba perpetrado contra eles quando escoltavam um professor em Narathiwat, outra província muçulmana.

Os professores, junto com a Polícia e o Exército, são os grupos mais castigados pela violência islâmica, por serem considerados os artífices da imposição dos valores budistas pelo Governo.

Os outros incidentes aconteceram no sábado passado.

O primeiro-ministro tailandês, Abhisit Vejjajiva, viajou hoje à Malásia para abordar o conflito armado nas províncias muçulmanas de Pattani, Yala e Narathiwat, que foram incorporadas à Tailândia no começo do século XX.

Os ataques com armas leves, assassinatos e atentados com bomba, acontecem diariamente nessas três províncias sulinas, apesar dos mais de 31 mil agentes das forças de segurança e da declaração do estado de exceção. EFE grc/ma/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.