Os rebeldes islamitas assumiram nesta sexta-feira o controle de Kismayo, a maior cidade do sul da Somália, depois de combates que deixaram pelo menos 34 mortos nos últimos dias, em uma nova demonstração de força dos rebeldes, que rejeitam o cessar-fogo assinado em Djibuti em junho passado.

Os "shebabs", combatentes islâmicos extremistas, conseguiram expulsar da cidade as milícias locais que a controlavam e fizeram com que o principal porto do sul do país, situado a 500 km de Mogadíscio.

Um comandante das milícias locais, no entanto, se negou a falar de derrota e assinalou que foi um recuo tático para evitar a morte de inúmeros civis.

Na cidade não havia nem forças do governo de transição somaliano, nem da aliada Etiópia, nem da missão da União Africana na Somália (AMISOM).

nur-fal/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.