Rebeldes iemenitas aceitam oferta governamental de trégua

SANAA (Reuters) - O líder dos rebeldes xiitas do Iêmen anunciou neste sábado um cessar-fogo no confronto com as forças do governo, e disse aceitar os termos das autoridades para uma trégua. Para evitar a aniquilação de civis, nós reiteramos nossa aceitação dos cinco pontos para um cessar-fogo, disse Abdul-Malik al-Houthi, em uma mensagem de áudio divulgada na internet.

Reuters |

As condições do governo incluem uma retirada dos rebeldes, a remoção de postos de controle estabelecidos por eles e esclarecimentos sobre o destino de estrangeiros que foram sequestrados. Os rebeldes também têm de devolver equipamento civil e militar furtado e deixar de interferir nas atividades das autoridades locais.

Houthi disse que seu grupo havia tentado três vezes pôr fim ao conflito, mas sua iniciativa tinha sido desconsiderada pelo governo.

A agência da ONU para os refugiados afirmou na sexta-feira,

que os combates no norte do Iêmen estavam se disseminando e que os cinco anos de conflito tinham provocado a saída forçada de 250 mil pessoas de suas casas, aprofundando uma crise humanitárias.

O número de pessoas deslocadas no país, o mais pobre do mundo árabe, dobrou desde agosto, quando teve início uma nova fase na luta entre as forças do governo e o grupo de Houthi, informou a ONU.

Os rebeldes, que também se envolveram em um conflito com a Arábia Saudita, na fronteira, disseram na quinta-feira que ataques aéreos e de artilharia das forças sauditas continuam, apesar da proposta de trégua.

Depois de uma oferta de cessar-fogo feita pelos insurgentes, que disseram ter-se retirado do território da Arábia Saudita, na quarta-feira o governo saudita declarou vitória sobre eles.

(Reportagem de Firouz Sedarat e Mohamed Sudam)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG