Rebeldes filipinos desocupam povoados após ameaça do Governo

Zamboanga (Filipinas), 8 ago (EFE).- A Frente Moura de Libertação Islâmica (FMLI), principal organização separatista das Filipinas, aceitou retirar seus homens dos nove povoados que ocupava em Mindanao, 12 horas depois de o Governo ter ameaçado lançar uma ofensiva militar na região, confirmou nesta sexta-feira (hora local) a chefia do grupo.

EFE |

Ontem, o Governo filipino ameaçou atacar as forças rebeldes caso a FMLI não se retirasse das áreas especificadas pelas autoridades.

"As tropas que ocupam certas áreas estão se retirando", disse o vice-presidente do grupo rebelde, Ghadzali Jaafar.

O acordo de retirada, que será supervisionado por integrantes de uma comissão conjunta, foi alcançado quinta à noite, na reunião que membros da chefia do FMLI mantiveram com representantes do Executivo.

A ameaça do Governo foi feita depois das denúncias apresentadas esta semana pelos líderes cristãos do sul das Filipinas, que acusaram a FMLI de forçar a fuga de aproximadamente 6.500 pessoas de pelo menos três localidades.

O ministro da Presidência, Eduardo Ermida, disse que várias localidades de Cotabato Norte, em Mindanao, foram ocupadas em 1º julho por 800 rebeldes da FMLI. EFE rp/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG