Rebeldes estudam assinar acordo com Governo sudanês sobre Darfur

Cairo, 15 fev (EFE).- O grupo rebelde Movimento de Justiça e Igualdade (MJI) não descartou hoje em Doha a assinatura iminente de um acordo com o Governo sudanês, com quem negocia a paz em Darfur, no oeste do Sudão.

EFE |

O site da rede de televisão catariana "Al Jazira" informou que um porta-voz do MJI, que não foi identificado, ressaltou que o pacto incluiria o fim dos ataques contra os campos de refugiados e dos bombardeios contra civis e uma troca de prisioneiros.

Mais cedo, o líder do MJI, Khalil Ibrahim, que lidera a delegação do grupo em Doha, tinha destacado que suas exigências para uma paz permanente são: a dissolução da milícia pró-governamental, a libertação dos rebeldes detidos e garantias para a distribuição da ajuda humanitária.

Enquanto isso, continuou hoje a troca de acusações entre as partes de terem lançado ataques contra suas respectivas posições no sul de Darfur, apesar do anúncio do MJI de uma assinatura iminente de um pacto para consolidar "a confiança e as boas intenções" na conversas de Doha.

O conflito de Darfur começou quando dois grupos rebeldes, o MJI e o Movimento de Libertação do Sudão (MLS), pegaram em armas em fevereiro de 2003 contra o regime de Cartum em protesto contra a pobreza e a marginalização dos habitantes desta região. EFE aj/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG