Rebeldes de Darfur e Governo sudanês começam conversas de paz

Cairo, 10 fev (EFE).- Representantes do Governo sudanês e do grupo rebelde Movimento de Justiça e Igualdade (MJI) começaram hoje as reuniões em Doha para avançar rumo ao fim do conflito em Darfur, no oeste do Sudão, vigente desde 2003.

EFE |

Na sessão inaugural, transmitida ao vivo pelo canal de televisão catariano "Al Jazira", a delegação do Governo de Cartum expressou sua esperança de que as divergências entre as duas partes envolvidas no conflito não criem obstáculos para a paz.

O encontro, promovido pelo Catar, conta também com a participação de representantes da ONU, da União Africana e da Liga Árabe, segundo a "Al Jazira", que não especificou até quando devem durar as conversas.

Em seu discurso inaugural, o emir do Catar, xeque Hamad bin Khalifa al-Thani, expressou sua confiança em que as outras partes sudanesas se unam ao diálogo, em referência aos rebeldes do Movimento de Libertação do Sudão (MLS), que boicotou as conversas em Doha.

Um dos dirigentes do MJI disse à agência oficial de notícias catariana "QNA" que um dos objetivos do encontro de Doha é "que ambas as partes (do conflito) expressem boas intenções para lançar um processo de negociação bilateral".

Para o dirigente, as boas intenções são colocadas em prática com a libertação dos rebeldes que estão detidos, que permitiria avançar mais nas negociações de paz e preparar o caminho para o retorno dos deslocados e refugiados a seus povos.

O dirigente do MJI antecipou também que estas negociações podem levar a um marco de acordo que inclua a distribuição das riquezas e das responsabilidades de segurança na região, e que se reconheça que a crise de Darfur é um "problema político". EFE hh/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG