Rebeldes avançam a norte no Congo, apesar de apelo por paz

RWINDI - Rebeldes tutsis fortemente armados no leste do Congo fizeram recuar uma desmoralizada tropa do Exército e avançavam para o norte, apesar do apelo de seu líder para apoiar um cessar-fogo e conversas de paz, disseram testemunhas na segunda-feira.

Reuters |

As tropas do governo abandonaram sua posição na noite de domingo em Rwindi, 130 quilômetros ao norte de Goma, na província de Kivu Norte, na República Democrática do Congo.

A debandada ocorreu depois de uma batalha com os rebeldes envolvendo armas de pequeno calibre e armamento pesado. As tropas de paz da ONU em Rwindi permaneceram em sua base durante o confronto.

Rebeldes da etnia tutsi, leais ao general desertor Laurent Nkunda, continuavam a avançar rumo ao norte e ampliar o território sob seu controle, apesar do compromisso de manter um cessar-fogo e conversas de paz assumido por ele no domingo a um enviado da ONU, o ex-presidente da Nigéria Olusegun Obasanjo.

A iniciativa de paz, feita por Obasanjo, nomeado pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, tem o objetivo de encerrar semanas de um renovado conflito que já fez com que 250 mil pessoas deixassem suas casas.

Obasajno também encontrou-se com o presidente congolês, Joseph Kabila, e o de Ruanda, Paul Kagame, no final de semana em um esforço para evitar que o conflito no leste do Congo se torne uma repetição da guerra que, entre 1998 e 2003, resultou na morte de milhares de pessoas no país.

Um membro da força de paz da ONU, que não quis se identificar, disse à Reuters que as forças do Congresso Nacional pela Defesa do Povo (CNDP), leais a Nkunda, começaram a avançar contra as tropas do governo no domingo, dia do encontro do líder rebelde com Obasanjo. "Na segunda-feira eles já estavam aqui", afirmou.

A estrada para Rwindi estava coberta de sapatos e cobertores. Na cidade, próxima ao Parque Nacional Virunga, militantes rebeldes ocupavam os postos de checagem abandonados pelo exército.

Uma autoridade da ONU disse que os soldados do governo em retirada destruíram os equipamentos que deixaram para trás em Rwindi, incluindo munição e um lança-foguetes. Os rebeldes têm coletado uma grande quantidade de armamentos militares abandonados pelo fraco e caótico Exército congolês.

    Leia tudo sobre: congo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG