Rebelde das Farc que ajudou refém a fugir ganha visto para viver na França

Bogotá, 9 dez (EFE).- O guerrilheiro das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) que no mês passado ajudou na fuga do ex-congressista colombiano Óscar Tulio Lizcano, seqüestrado havia oito anos, já tem em seu poder um passaporte francês, o qual lhe permitirá viver nesse país, informou a imprensa local.

EFE |

O jornal "El Tiempo", de Bogotá, disse, citando fontes oficiais, que o rebelde Wilson Bueno Largo, conhecido como "Isaza" e que em 26 de outubro fugiu com Lizcano, pode viver e trabalhar em território francês graças ao documento que recebeu.

Óscar Tulio Lizcano, ex-membro da Câmara de Representantes, foi seqüestrado em 2000 pelas Farc no departamento de Caldas (oeste).

Graças à ajuda ao hoje ex-refém, o insurgente espera receber benefícios como uma recompensa, cujo valor ainda não foi estabelecido, e proteção para ele e a mulher com quem vive.

Há um ano, o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, propôs aos guerrilheiros que se entregassem em troca de incentivos como a concessão de vistos para residência em outro país.

Segundo o "El Tiempo", o alto comissário do Governo colombiano para a Paz, Luis Carlos Restrepo, "entregou na semana passada na Embaixada da França os passaportes do ex-guerrilheiro" e sua mulher.

O jornal diz ainda que o Restrepo também entregou um documento no qual um juiz arquiva um processo contra "Isaza" por crime de rebelião.

O ministro da Defesa da Colômbia, Juan Manuel Santos, também já disse que "Isaza" poderá ser enviado à França ainda esta semana.

"Sim, há a intenção de que (Bueno Largo) vá embora o mais rápido possível. Falta uma série de procedimentos jurídicos, estamos acelerando esses procedimentos. Na melhor das hipóteses, ele poderá ir embora nesta quinta-feira", declarou hoje o ministro. EFE gta/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG