Rebelde confessa autoria do atentado em cafeteria de Mianmar

Bangcoc, 16 set (EFE).- Um militante do grupo insurgente União Nacional Karen confessou ter cometido o atentado com bomba que matou duas pessoas, uma adolescente de 13 anos e uma jovem de 20, no último dia 11 em uma cafeteria de Mianmar (antiga Birmânia), informou hoje o jornal oficial A Nova Luz de Myanmar.

EFE |

"Saw Ya Ko confessou que detonou duas bombas na cafeteria e que colocou um explosivo de efeito retardado em uma cesta de bambu na loja de alimentação", segundo o jornal, utilizado habitualmente pelo regime para divulgar suas mensagens.

O terceiro explosivo posto na cidade de Kyaukgy, situada no leste de Mianmar, foi desarmado por agentes dos corpos de segurança birmaneses.

O jornal advertiu que organizações da dissidência, como a União Nacional Karen, "introduziram no país cinco sabotadores em 10 de setembro para explodir bombas em lugares públicos em Yangun", e pediu aos cidadãos que "permaneçam atentos e denunciem os suspeitos".

O terrorista, apresentado como um militante da União Nacional Karen desde 1976, foi detido em casa no último dia 12. EFE tai/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG