Ex-braço direito de Rupert Murdoch no Reino Unido foi acusada de conspiração para atrapalhar investigações sobre grampos ilegais

Seis pessoas detidas na terça-feira por suposto envolvimento nas escutas ilegais cometidas por veículos da News Corporation , entre eles Rebekah Brooks , ex-braço direito de Rupert Murdoch no Reino Unido, foram libertadas após pagarem fiança, confirmou nesta quarta-feira a Scotland Yard.

A ex-executiva-chefe da News International - divisão britânica do império midiático de Murdoch - e seu marido Charlie Brooks, amigo de infância do primeiro-ministro, David Cameron, foram detidos na manhã da terça-feira por suposta obstrução da Justiça e libertados à noite.

Leia também: Polícia britânica teria emprestado cavalo para Rebekah Brooks

Rebekah Brooks deixa hotel em Londres (10/07/2011)
AP
Rebekah Brooks deixa hotel em Londres (10/07/2011)
Essa foi a segunda vez que a ex-diretora do tabloide The Sun e o extinto The News of the World foi detida por sua relação com escutas telefônicas ilegais por jornalistas da News International e por conspirar para obstruir as investigações da Justiça. Seu marido, Charlie Brooks, de 49 anos, um conhecido treinador de cavalos e colunista do conservador Daily Telegraph, foi detido sob a mesma acusação.

Segundo a polícia, os detidos deverão se apresentar novamente à delegacia no mês que vem, em datas que ainda serão confirmadas.

Além de Rebekah e Charlie Brooks, os agentes indicaram que os outros detidos são homens de 39, 46 e 48 anos, além de um quarto, de 38, preso no condado de Hertfordshire, no sul da Inglaterra, que permaneceu mais tempo que os demais em uma delegacia do centro de Londres antes de ser liberado sob fiança.

Na terça-feira, a News International confirmou que entre os detidos estava seu diretor de segurança, Mark Hanna.

Escândalo

O News of the World foi centro de um enorme escândalo em 2011 diante de suspeitas de interceptações ilegais de mensagens de telefones celulares de famosos, além de vítimas de terrorismo e membros das Forças Armadas, com o fim de obter reportagens exclusivas.

Um inquérito judicial sobre ética na mídia investiga o caso News of the World e outras práticas ilegais realizadas pela imprensa no Reino Unido.

A empresa de Murdoch chegou a acordos com várias vítimas do escândalo das escutas ilegais, como o ator Jude Law e a cantora Charlotte Church , que receberão indenizações. Uma investigação paralela investiga relações corruptas entre a polícia e a imprensa.

O escândalo das escutas ilegais forçou Rebekah Brooks a renunciar ao cargo de chefia na News International e levou ao fechamento do News of the World .

*Com EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.