Roma, 3 jul (EFE).- O Governo da Itália decretou hoje a realização de funerais solenes para as até agora 22 vítimas da tragédia do trem de mercadorias carregado com gás que explodiu na madrugada da segunda-feira passada na localidade italiana de Viareggio, no norte do país.

Em comunicado de imprensa divulgado após a reunião do Conselho de Ministros desta sexta-feira, o Governo italiano expressa os "pêsames mais profundos, vivos e sentidos" do primeiro-ministro, Silvio Berlusconi, ao mesmo tempo em que declara o luto nacional pela tragédia sem especificar uma data concreta.

Berlusconi assegurou no Conselho de Ministros de hoje que "serão realizadas todas as investigações sobre os modos e as causas do acidente, esperando que desgraças semelhantes não possam se repetir", diz a nota.

Com a ideia de enfrentar as consequências da catástrofe com fundos extraordinários, o Executivo italiano declarou hoje o estado de emergência nas zonas afetadas pela explosão, que aconteceu por volta das 23h50 da segunda-feira (18h50 de Brasília), após um dos vagões do trem virar e produzir um escapamento de gás liquefeito do petróleo.

Enquanto, o balanço de vítimas da tragédia continua aumentando devido à gravidade do estado dos feridos internados em vários hospitais do país.

A última morte, acontecido na primeira hora de hoje, é o de uma mulher de cerca de 40 anos que permanecia internada em um hospital da vizinha localidade de Pisa, também na região da Toscana, com queimaduras em praticamente todo o corpo. EFE mcs/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.