R.Dominicana terá acampamento para mulheres vítimas do terremoto no Haiti

Santo Domingo, 27 jan (EFE).- Um grupo de feministas da América Latina e do Caribe anunciou hoje a instalação de um acampamento no município dominicano de Jimaní, na fronteira com o Haiti, para atender as mulheres e meninas haitianas atingidas pelo forte terremoto de 12 de janeiro.

EFE |

O Acampamento Internacional Feminista Myriam Merlet dará assistência psicológica, econômica e de saúde às vítimas do terremoto que deixou pelo menos 150 mil mortos e 3 milhões de desabrigados, anunciaram em Santo Domingo as representantes das mulheres da República Dominicana e do Haiti.

A ideia é que o centro funcione até que seja canalizada a ajuda suficiente para que as condições das mulheres haitianas sejam favoráveis à garantia de sua estabilidade, explicaram as fontes.

Depois, as organizações preveem transferir o acampamento para o Haiti e passar a coordenação para as organizações de mulheres haitianas.

O centro começará a funcionar nesta mesma semana e abrigará as mulheres e meninas que regularmente são as mais afetadas nas situações de desastre.

As responsáveis pela iniciativa pretendem oferecer atendimento de prevenção em situações de desastre, saúde mental e criar iniciativas que promovam a participação e a liderança das mulheres afetadas durante o processo de reconstrução de seu país.

Idealizada pelas organizações de mulheres dominicanas, o espaço terá apoio e atuação de representantes de entidades do Brasil, Nicarágua, México, Porto Rico, Honduras, Panamá, Estados Unidos e do próprio Haiti.

As organizadoras argumentaram que é de "vital importância" a iniciativa, já que a situação de crianças e mulheres no Haiti "é de vulnerabilidade e isso aumentou depois do terremoto".

No acampamento participarão organizações com experiência em prevenção e atuação em catástrofe, assim como no tratamento de trauma pós-desastre. EFE mf/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG