RDC fixa prazo de 15 dias para desarmar rebeldes ruandeses

Kinshasa, 21 jan (EFE).- O Governo da República Democrática do Congo (RDC) fixou um prazo de 15 dias para desarmar os rebeldes hutus ruandeses com bases no leste do país, disse hoje em Kinshasa o ministro de Comunicação e Imprensa congolês, Lambert Mende Omalanga.

EFE |

Tropas do Exército congolês apoiadas por tanques e unidades de lança-foguetes iniciaram na terça-feira uma operação para desarmar os insurgentes das Forças Democráticas para a Libertação de Ruanda (FDLR) que estão nas montanhas Virunga, onde ficam seus acampamentos.

Entre 1.500 e 2.000 soldados de Ruanda entraram ao mesmo tempo em território congolês para participar, a convite das autoridades de Kinshasa, como observadores da operação.

As FDLR são integradas por membros do antigo Exército ruandês e a milícia hutu "interahamwe", responsáveis pelo genocídio perpetrado em Ruanda entre abril e julho de 1994.

O objetivo da atual operação é proteger os povoados das províncias de Kivu Norte e Sul dos abusos cometidos pelas milícias das FDLR, assinalou em entrevista coletiva Omalanga.

"Antes tarde do que nunca, o Governo congolês decidiu pôr fim ao reinado das FDLR em seu território a fim de proteger a população civil", afirmou.

Segundo Omalanga, uma vez desarmados, os insurgentes ruandeses terão duas opções: retornar a seu próprio país ou permanecer na RDC como asilados. EFE py/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG