RD Congo se compromete a não executar noruegueses

O governo da República Democrática do Congo (RDC) se comprometeu a não aplicar a pena de morte a que foram condenados dois noruegueses, acusados de assassinato e espionagem, anunciou o chanceler da Noruega, Jonas Gahr Stoere.

AFP |

Depois da condenação anunciada por um tribunal militar na terça-feira em Kisangani (leste da RDC) contra dois ex-soldados noruegueses, Tjostolv Moland e Joshua French, o chefe da diplomacia norueguesa entrou em contato com o colega congolês Thambwe Mwamba.

"Mwamba garantiu a Stoere que os dois homens não seriam de maneira nenhuma executados, apesar da manutenção do veredicto", afirma um comunicado do ministério norueguês das Relações Exteriores.

Tjostolv Moland, 28 anos, e Joshua French, 27, foram condenados pela morte em 5 de maio do motorista do veículo que haviam alugado em Kisangani.

Também foram acusados por posse ilegal de arma de guerra, roubo a mão armada e associação criminosa.

Ambos se declararam inocentes.

phy/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG