Havana, 1 mai (EFE).- Vestido com uniforme militar e sem pronunciar discurso algum, o chefe de Estado cubano, Raúl Castro, presidiu hoje na Praça da Revolução de Havana o desfile do Dia do Trabalho, que contou com a participação de milhares de pessoas.

O único orador do dia foi o presidente do sindicato único, Salvador Valdés, que reiterou o discurso oficial de "continuar o caminho traçado" pelo ex-presidente Fidel Castro "para um socialismo cada vez mais justo e eficiente".

É o segundo Dia do Trabalho que Fidel Castro, de 81 anos, não preside, pois não aparece em público desde 2006, em razão de uma doença intestinal.

Valdés afirmou, em um curto discurso, que aconteceram "avanços modestos" na produção e nos serviços, e que aumenta o prestígio internacional de Cuba, mas também mencionou "importantes desafios", "insatisfações" e "insuficiências".

O líder sindical pediu a seus compatriotas que concentrem os esforços em aumentar a produção e a produtividade, sobretudo de alimentos, e em alcançar a eficiência econômica.

Tudo isto, segundo Valdés, deve ser realizado com "disciplina e organização, firmemente unido sob a direção do partido" e combatendo as atitudes criminosas e a corrupção. EFE am/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.