Raúl Castro preside desfile de 1º de Maio e exige fim do embargo

O presidente cubano, Raúl Castro, liderou nesta sexta-feira uma manifestação de 1º de Maio na Praça da Revolução, onde meio milhão de trabalhadores exigiram do governo de Barack Obama o fim do embargo e prometeram defender a revolução socialista frente aos Estados Unidos.

AFP |

Raúl Castro permaneceu na tribuna, ao lado de outros altos dirigentes do Partido Comunista e comandantes das Forças Armadas, sem fazer um discurso enquanto desfilavam 500.000 pessoas, segundo cálculos oficiais.

"Abaixo o bloqueio genocida", "Unido na defensa de nosso socialismo frente ao imperialismo", "A Cuba não terão jamais", foram algumas das frases gritadas na Praça da Revolução, considerada o coração político de Cuba.

Com bandeiras de Cuba, balões, cartazes com frases de protesto e fotos de Fidel e Raúl Castro, professores, médicos, estudantes e operários, muitos vestidos de vermelho, marcharam na esplanada, assim como em outras cidades da ilha.

O secretário-geral da Confederação de Trabalhadores de Cuba (CTC, única), Salvador Valdés, pediu aos cubanos apoio às medidas do governo de Raúl Castro para aumentar a produtividade e atenuar os efeitos da crise econômica mundial.

mis/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG