Raúl Castro alerta os cubanos sobre tempos difíceis de ajuste econômico

Sob uma imensa foto do líder Fidel Castro, seu irmão, o presidente cubano Raúl Castro encabeçou neste sábado a cerimônia pelo aniversário de 55 anos do ataque ao Quartel de La Moncada pela primeira vez como novo chefe de Estado.

AFP |

Vestido com o uniforme verde oliva de general de Exército, Raúl chegou pontualmente às 19H00 local acompanhado de seus vice-presidentes e saudou alguns dos 10.000 convidados presentes.

Duas grandes bandeiras, uma cubana e outra rubro-negra do Movimento 26 de Julho que nasceu depois do frustrado ataque, acompanhavam a foto de Fidel no palco, onde artistas recitavam poemas e odes à revolução e vários oradores pronunciaram breves discusos, conforme o estilo imposto pelo novo presidente.

Em seu discurso, Raúl Castro, 77 anos, falou dos ajustes que vem fazendo em desde que assumiu o poder em julho de 2006, primeiro de forma interina e há cinco meses como presidente devido à doença de seu irmão Fidel. Também abordou temas econômicos e sociais, advertindo aos cubanos que devem estar preparados para receber "não apenas boas notícias", pois a atual crise econômica internacional terá "inevitáveis consequências" para a ilha.

"A Revolução fez e continuará fazendo o que estiver a seu alcance para seguir avançando e reduzir ao mínimo as inevitáveis consequências da atual crise internacional para a população. Devemos explicar oportunamente a nosso povo as dificuldades e assim pode nos preparar para enfrentá-las".

Raúl Castro criticou os governantes dos países ricos que permanecem "passivos" ante a crise internacional. "É uma atitude não apenas egoísta e irresponsável, como também suicida, pois queiram ou não, todos vivemos neste pequeno planeta".

"Ainda nos faltam muitas coisas que gostaríamos que nosso povo disfrutasse, mas por maiores que sejam nossos desejos de resolver cada problema, não podemos gastar mais do que temos", enfatizou.

Raúl também anunciou que a cidade de Santiago de Cuba será, em 2009, a sede das cerimônias pelo 50o. aniversário da Revolução Cubana.

"Foi decidido que será aqui, em nossa Cidade Heroína, a celebração de um acontecimento extraordinário: o aniversário 50 do triunfo da Revolução. Ontem, hoje e sempre: Santiago continua sendo Santiago!", proclamou.

"Em nome de todos os patriotas desta ilha, da heroíca Santiago de Cuba, berço da revolução, a ti, Fidel, dedicamos este 55o. aniversário", dedicou em seu discurso de apenas 48 minutos.

Além disso, afirmou que Cuba continuará preparando sua defesa militar independente do resultado das eleições presidenciais nos Estados Unidos, em novembro.

"A defesa continuará sem que se descuide independente dos resultados das eleições presidenciais nos Estados Unidos".

"A preparação para a defesa do país caminha bem", acrecentou Raúl Castro, que ocupou a pasta da Defesa por quase 50 anos.

O discurso era bastante aguardado pelos cubanos, que querem mudanças de fato em sua vida cotidiana. No entanto, Raúl anunciou medidas de longo prazo na agricultura e restrições econômicas pela crise internacional dos alimentos e o petróleo.

Depois festas de rua vão varar a madrugada para comemorar o 55o. aniversário do ataque de Fidel Castro à fortaleza militar, primeira ação rebelde que resultou no triunfo da revolução de 1959.

mis/lm/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG