tempos difíceis - Mundo - iG" /

Raul Castro alerta cubanos para tempos difíceis

O presidente Raul Castro advertiu os cubanos que eles devem se preparar para as consequências da atual crise econômica global, em um discurso para marcar o 55º aniversário da Revolução Cubana.

BBC Brasil |

Castro afirmou que os países em desenvolvimento já sentiram os efeitos da alta dos preços dos alimentos e do petróleo durante o discurso em Santiago, a segunda maior cidade cubana, na noite de sábado.

A expectativa era de que o presidente anunciasse novas políticas econômicas, mas em vez disso, ele deu poucas pistas da direção ou ritmo das reformas e afirmou que não há unanimidade sobre esta direção.

Raul Castro já introduziu algumas mudanças significativas desde que assumiu o poder em Cuba, sucedendo seu irmão, Fidel, em fevereiro.

Recentemente, o presidente anunciou reformas na política agrícola que vão permitir a alguns fazendeiros cultivar privadamente terras do Estado e relaxou as restrições ao uso de telefone celular e computadores pessoais.

Dificuldades
Falando por 48 minutos, o presidente alertou que a austeridade econômica sofrida nos últimos anos não vai ser ajudada pela alta dos preços dos alimentos.

"A Revolução fez e vai continuar fazendo o que for possível para continuar os avanços e reduzir ao mínimo possível as inevitáveis consequências das crises internacionais sobre o nosso povo", disse ele.

"Mas precisamos explicar as dificuldades ao nosso povo, e assim prepará-lo para lidar com elas."

Raul Castro ainda enviou um recado para o maior inimigo ideológico cubano, os Estados Unidos: "Vamos continuar a dar atenção especial a nossa Defesa, qualquer que seja o resultado das próximas eleições presidenciais nos Estados Unidos".

Desde que assumiu a presidência, Castro também assinou um acordo de direitos humanos com a ONU e anunciou o fim do salário único na ilha, introduzindo bônus de produtividade.

Cerca de 10 mil pessoas acompanharam o discurso no histórico quartel militar Moncada, onde ele e seu irmão lideraram um ataque rebelde há exatamente 55 anos.

Os dois foram presos no ataque, mas eventualmente conquistaram o poder do então líder cubano Fulgêncio Batista em 1º de Janeiro de 1959.

"Quando atacamos a Moncada, nenhum de nós sonhou estar aqui hoje", disse ele.

O ex-presidente Fidel Castro foi visto em público pela última vez nas comemorações pelo Dia da Rebelião, dois anos atrás, antes de ser operado de emergência. Desde então ele só apareceu para o público em vídeos e fotografias.

    Leia tudo sobre: cuba

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG