canto de sereia dos EUA - Mundo - iG" /

Raúl Castro alerta cubanos contra canto de sereia dos EUA

Por Esteban Israel HAVANA (Reuters) - Cuba não se pode deixar hipnotizar pelos cantos de sereia dos Estados Unidos, afirmou o presidente cubano, Raúl Castro, nas comemorações dos 50 anos da revolução na ilha e semanas antes da posse de Barack Obama em Washington.

Reuters |

Obama, que assume a Casa Branca no dia 20 de janeiro, se disse disposto a abrir uma fase de diálogo com as autoridades comunistas de Cuba.

"Não amoleçam com os cantos de sereia do inimigo e tenham a consciência de que, por sua essência, ele nunca deixará de ser agressivo, dominador e traiçoeiro", declarou Castro, na noite de quinta-feira, aos futuros dirigentes cubanos, durante a celebração dos 50 anos da revolução, em Santiago de Cuba.

A eleição de Obama tem significado para muitos, em Cuba e no litoral sul dos Estados Unidos, uma possibilidade para que os dois países, inimigos da Guerra Fria, façam as pazes.

Raúl Castro, um general de 77 anos, que substituiu o irmão Fidel Castro na presidência em fevereiro passado, disse há algumas semanas que estaria disposto a se reunir com Obama.

O presidente cubano foi, inclusive, mais além e se propôs a trocar presos políticos por cinco agentes cubanos presos há dez anos nos Estados Unidos. Obama não respondeu.

Mas em uma mensagem enviada da prisão, os agentes cubamos aconselharam a não se criar ilusões.

"Não podemos ser ingênuos, nem esperar milagres, nem nosso futuro como nação deve estar atado às mudanças de governo no grande vizinho do norte", afirmaram os agentes, em uma mensagem reproduzida nesta sexta-feira pela imprensa estatal.

Cuba exige o fim do embargo comercial com o qual 10 governos norte-americanos tentaram minar o sistema socialista da ilha.

Obama declarou que amenizaria as restrições a viagens e ao envio de remessas dos cubanos nos Estados Unidos, e disse que estaria disposto a conversar com autoridades cubanas.

Contudo, frisou que não pretende suspender o embargo, que considera um instrumento para pressionar por liberdades políticas e pelo respeito dos direitos humanos em Cuba.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG