Rasmussen propõe conectar sistemas antimísseis dos EUA, Rússia e Otan

Bruxelas, 18 set (EFE).- O secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, propôs hoje explorar possibilidades para conectar os sistemas antimísseis dos EUA, Otan e Rússia, país ao que instou a um novo começo em suas relações baseadas no realismo das ameaças comuns, como a proliferação nuclear.

EFE |

"Nossas nações e forças no terreno vão ser cada vez mais vulneráveis aos ataques com mísseis de terceiros países", disse Rasmussen em seu primeiro grande discurso após ser eleito secretário-geral aliado, centrado nas relações com Moscou.

Um dia depois do anúncio dos EUA que suspende seus planos para instalar um escudo antimísseis no leste da Europa, que era visto como uma ameaça pela Rússia, Rasmussen insistiu em que "a proliferação de tecnologia de mísseis não só é uma preocupação para os países aliados, mas também para a Rússia". EFE met/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG