Ramos Horta nega que Reinado tenha sido executado

Sydney (Austrália), 18 set (EFE).- O presidente do Timor-Leste, José Ramos Horta, negou hoje que Alfredo Reinado, o militar rebelde que tentou matá-lo, tenha sido executado, e reiterou que sua morte ocorreu durante uma troca de tiros com seus seguranças durante o atentado.

EFE |

"Ninguém atirou (em Reinado) a um ou dois metros de distância, e ele não foi detido antes de ser baleado", disse o presidente em Díli, capital timorense.

As autoridades do Timor-Leste insistem em que Reinado perdeu a vida em uma troca de tiros com os seguranças que protegiam Ramos Horta após o atentado frustrado em frente à sua residência.

No entanto, o diário "The Australian" informou há um mês que a autópsia tinha revelado que Reinado e o soldado Leopoldino Expósito foram executados à queima-roupa, com tiros na nuca.

O ex-primeiro-ministro e líder opositor, Mari Alkatiri, exigiu que o Executivo publique os resultados da autópsia, para evitar mais dúvidas sobre o incidente. EFE aus/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG