Radovan Karadzic chega ao Tribunal Penal Internacional

HAIA - O ex-líder sérvio Radovan Karadzic, acusado pelo massacre de Srebrenica, chegou na manhã desta quarta-feira ao centro penitenciário do Tribunal Penal Internacional (TPI), em Haia, e comparecerá pela primeira vez, na quinta-feira às 16h, diante de um juiz, que lhe perguntará se se declara culpado ou não, anunciou o Tribunal nesta quarta-feira.

Redação com agências internacionais |

Durante a primeira audiência será pedido a Karadzic que se declare culpado ou não de 11 acusações de crimes de guerra, crimes contra a humanidade e genocídio por seu envolvimento na guerra da Bósnia (1992-1995).

No entanto, não será obrigado a responder imediatamente, e disporá de um prazo legal de 30 dias para fazê-lo.

Karadzic, de 63 anos, chegou na manhã desta quarta-feira ao centro penitenciário do TPI em Scheveningen, nos arredores de Haia. De acordo com os procedimentos legais, o acusado será informado sobre seus direitos e deveres e será examinado por um médico.


Helicóptero que trazia Karadzic chega ao centro de detenção em Haia / Reuters

Foragido

Karadzic estava foragido há mais de uma década. Ele deve responder a acusações de genocídio e crimes contra a humanidade ligadas ao conflito na Bósnia (1992 a 1995), ocorrido após a desintegração da Iugoslávia.

O ex-líder sérvio foi indiciado no Tribunal de Haia em julho de 1995, acusado de autorizar a morte de civis durante o cerco de Sarajevo, que durou 43 meses.

Quatro meses depois, foi indiciado por genocídio pela morte de cerca de 8 mil homens e meninos muçulmanos, depois que as forças de seu comandante militar Ratko Mladic tomaram Srebrenica.

Protesto contra extradição

A transferência de Karadzic para Haia é realizada poucas horas depois de uma manifestação em Belgrado contra a sua prisão , que acabou em violência.

Mais de 40 pessoas ficaram feridas em choques entre manifestantes favoráveis ao ex-líder sérvio da Bósnia e a polícia nas ruas da capital sérvia, Belgrado.

A polícia usou balas de borracha e gás lacrimogêneo para dispersar pequenos grupos.

O ato público chegou a reunir 16 mil pessoas, segundo a polícia. Os choques ocorreram nos discursos finais da concentração organizada pelo Partido Radical, que é nacionalista.


Cerca de 200 manifestantes enfrentaram policiais no centro de Belgrado/AP

Quem é Radovan Karadzic?

Karadzic foi indiciado por planejar o massacre de cerca de oito mil muçulmanos bósnios em Srebrenica e pelos 43 meses de cerco a Sarajevo, onde mais de 11 mil pessoas morreram em virtude dos bombardeios, disparos de franco-atiradores, desnutrição e falta de atendimento médico.

Pouco se sabe sobre o que o ex-líder fez nos anos que ficou foragido. Relatos nunca confirmados dão conta de que se disfarçou de padre ortodoxo e morou em monastérios, levando uma vida secreta sob a proteção de nacionalistas radicais presentes no Exército e na polícia.

Nos últimos anos, passou a viver na capital sérvia usando um nome falso, fingindo ser um praticante de medicina alternativa e usando barba longa, cabelo comprido e óculos grossos para esconder o rosto. Muitos nacionalistas consideram-no um herói vitimado pela propaganda anti-Sérvia.

Clique na imagem e veja o infográfico sobre Radovan Karadzic
Imagem mostra Karadzic barbudo para não ser reconhecido

Leia mais sobre: Radovan Karadzic

* Com AFP, Reuters e AP

    Leia tudo sobre: radovan karadzic

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG