Radialista é assassinado nas Filipinas

Zamboanga (Filipinas), 23 fev (EFE).- Um comentarista de rádio foi morto hoje a tiros no sul das Filipinas, no segundo assassinato a um jornalista cometido em 2009 no arquipélago e 63º desde que a atual presidente, Gloria Macapagal Arroyo, chegou ao poder em 2001.

EFE |

Dois desconhecidos que viajavam em uma motocicleta atiraram em Ernie Rollin em um posto de gasolina perto da emissora de rádio onde trabalhava, na província de Misamis Ocidental, informaram fontes militares.

A União Nacional de Jornalistas aponta as Filipinas como o terceiro mais perigoso para os jornalistas no mundo, depois de Iraque e Afeganistão.

A maioria dos crimes é relacionada a denúncias sobre escândalos de políticos locais, que contratam assassinos de aluguel para executar os profissionais de imprensa que os denunciam, enquanto a Justiça, também é ameaçada pelos mesmos criminosos. EFE rp/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG