Rabo de cavalo em homens fica proibido no Irã

Ministério da Cultura aprova "código de conduta" para cortes de cabelo masculinos no Irã

AFP |

O Ministério da Cultura do Irã abençoou vários cortes de cabelo "islâmicos" para homens, com os rabos de cavalo não conseguindo passar na seleção, informou nesta segunda-feira a agência Ilna.

A Ilna e outras agências divulgaram fotos de modelos masculinos em sua maioria barbeados com cortes de cabelo curtos, alguns estilizados com gel, em um "jornal de cortes de cabelo aprovados pelo Ministério da Cultura e Direcionamento Islâmico".

AFP
Cartaz exibe cortes de cabelo permitidos pelo governo do Irã

"Os estilos propostos são inspirados pela aparência, cultura, religião dos iranianos e pela lei islâmica", disse Jaleh Khodayar, que é encarregada do Festival da Modéstia e do Véu no fim deste mês, quando os cortes serão promovidos.

"Estamos felizes de que a República Islâmica do governo iraniano nos apoiou em elaborar esses cortes", disse, acrescentando que um catálogo dos cortes para os homens será publicado em breve.

A polícia iraniana realiza regulares atos de repressão por questões morais, prendendo e advertindo mulheres que usam casacos curtos e véus soltos, assim como homens com cabelos modernos e jeans justos.

O véu islâmico é obrigatório no Irã, que busca manter desafiantes jovens urbanos adequadamente cobertas desde o estabelecimento da República Islâmica, há 30 anos.

Várias barbearias tiveram de fechar e foram penalizadas em anos recentes por oferecer "cortes ocidentais decadentes".

Clérigos conservadores reivindicaram ações firmes contra vestimentas não-islâmicas, e o presidente Mahmoud Ahmadinejad foi criticado no mês passado por se opor a uma repressão policial mais dura contra o vestuário extravagante.

    Leia tudo sobre: Irãcortes de cabeloIslã

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG