Rabinos aprovam ordem contra entrega de armas a palestinos por Israel

Jerusalém, 2 abr (EFE).- Um grupo de rabinos da direita nacionalista aprovou uma ordem religiosa contra a entrega de armas aos palestinos anunciada recentemente pelo Governo israelense ao considerá-la uma violação das leis da Torá.

EFE |

O Conselho de Rabinos da Terra de Israel entende que ceder armas à Autoridade Nacional Palestina (ANP) é "colaborar com o inimigo" e é proibido pelos textos sagrados judeus, publica hoje o jornal "Ha'aretz".

A ordem será publicada em breve na newsletter "Eretz Yisrael Shelanu" (A Terra de Israel é Nossa).

Na última semana o ministro da Defesa israelense, Ehud Barak, se reuniu com o primeiro-ministro palestino, Salam Fayyad, e ambos decidiram pelo desmantelamento de cerca de 50 postos de controle israelenses na Cisjordânia e pelo aumento de responsabilidades da ANP em matéria de segurança.

Além de permitir à ANP o desdobramento de cerca de 700 efetivos policiais treinados na Jordânia, o titular da Defesa se comprometeu em ceder aos palestinos veículos blindados, fuzis Kalashnikov, balas de aço cobertas de borracha e equipamentos de visão noturna.

Esta decisão é tomada, segundo os rabinos, "apesar de saber que os policiais da ANP são responsáveis por vários atos recentes de terrorismo contra os judeus".

"Há uma forte proibição contra a transferência de qualquer tipo de equipamento militar aos árabes", estabelece a nota do Conselho de Rabinos.

"Qualquer um que votar (a favor da transferência de armas ou ajudar de forma logística) é cúmplice do derramamento de sangue e um colaborador do inimigo", acrescentam. EFE aca/ev/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG