Rabino se nega a fechar a esplanada do Muro das Lamentações para o Papa

O rabino responsável pelo Muro das Lamentações em Jerusalém pediu nesta segunda-feira que o acesso ao local mais sagrado do judaísmo permaneça aberto durante a visita do Papa Bento XVI, apesar das medidas de segurança.

AFP |

"A esplanada do Muro deve permanecer acessível a todos durante toda a visita do Papa", afirmou o rabino Shmuel Rabinowich.

"Certamente é preciso adotar as medidas de segurança necessárias, mas a esplanada está aberta a todo o mundo há mais de 42 anos e os judeus devem poder continuar rezando no local mesmo durante a visita", completou em uma entrevista à rádio pública.

De acordo com a emissora, a polícia e o serviço interno de segurança israelense pediram que o acesso à esplanada permaneça fechado desde a véspera da visita do Papa até a saída dele de Israel, mas o rabino não concordou com a exigência.

Bento XVI fará uma peregrinação a Terra Santa de 8 a 15 de maio, durante a qual pretende visitar o Muro das Lamentações e a vizinha Esplanada das Mesquitas, onde fica a mesquita de Al-Aqsa, o terceiro local sagrado do Islã.

ChW/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG