Rabino critica beatificação de Pio XII durante o sínodo dos bispos

Um rabino israelense, o primeiro a falar ante o sínodo dos bispos católicos reunido no Vaticano, criticou a beatificação do Papa Pio XII, cujas atitudes em relação ao nazismo e ao fascismo têm sido objeto de controvérsias históricas, informa a imprensa italiana.

AFP |

"Somos contrários à beatificação de Pio XII. Não podemos esquecer seu silêncio sobre o Holocausto", afirmou o grande rabino de Haifa (Israel), Shear Yshuv Cohen, segundo o jornal La Stampa.

"Não deve ser tomado como modelo e não deve ser beatificado porque não levantou a voz a respeito da Shoa. Não falou porque tinha medo ou por outras razões pessoais", acrescentou o rabino, segundo a mesma publicação.

Pio XII, que comandou a Igreja Católica entre 1939 e 1958, é acusado por seus detratores de ter mantido silêncio ante os crimes dos nazistas e dos fascistas.

Apesar da polêmica, o Papa Bento XVI não hesitou em homenagear, mês pasado, Pio XII ao afirmar que ele "não poupou esforços" para salvar os judeus do extermínio.

O processo de beatificação de Pio XII, aberto em outubro de 1967, é um tema que provoca tensão entre a Igreja Católica e a comunidade judaica.

O caso estava quase encerrado, mas em dezembro de 2007 Bento XVI criou uma comissão especial para analisar o caso antes de tomar uma decisão.

ljm/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG