Omar pode se transformar em furacão de categoria 2 - Mundo - iG" /

Omar pode se transformar em furacão de categoria 2

Miami, 15 out (EFE) - O furacão Omar está preste a se transformar em um ciclone de categoria dois na escala de intensidade Saffir-Simpson, que vai até cinco, devido às quentes águas sobre as quais se desloca muito perto do norte das Pequenas Antilhas, no Caribe, informou hoje uma fonte oficial. Os ventos máximos sustentados de Omar subiram de 140 km/h a 150 km/h, indicou o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, em inglês) em seu boletim das 18h (em Brasília). Um furacão alcança categoria dois quando seus ventos aumentam a 154 km/h. Omar mantém uma trajetória nordeste com um movimento de translação de 24 km/h. O olho do furacão se encontrava a essa hora perto da latitude 15,9 graus norte e da longitude 66,1 graus oeste, 245 quilômetros ao sudoeste de St. Croix e 280 quilômetros ao sul de San Juan (Porto Rico).

EFE |

Vigora um aviso de furacão (passagem do sistema em 24 horas) para as ilhas Virgens Americanas e para as de Vieques, em Porto Rico, e Culebra.

Também há um alerta de furacão para St. Martín, Saba, St.

Eustatius, St. Barthelemy, as ilhas Virgens Britânicas, Anguilla, São Cristóvão e Névis, Antígua e Barbuda e Montserrat.

Está em vigor uma vigilância de furacão (passagem do sistema em 36 horas) para Porto Rico.

"Omar" continua levando fortes chuvas sobre as ilhas de Aruba, Bonaire e Curazao.

Enquanto isso, a 16ª depressão tropical da temporada de furacões na bacia atlântica se encontrava, nessa hora, perto da latitude 15,5 graus norte e da longitude 85,4 graus oeste, 40 quilômetros ao su-sudeste de Limón (Honduras) e 345 quilômetros ao lés-sudeste do rio Monkey, em Belize.

Seus ventos máximos sustentados alcançam os 55 km/h e o NHC previu que nas próximas 48 horas a depressão tropical poderia perder intensidade.

O sistema se desloca em direção ao oeste com uma velocidade de translação de 5 km/h e deve manter esta trajetória nas próximas 48 horas.

Na atual temporada de furacões no Atlântico, que começou em 1º de junho e finaliza em 30 de novembro, foram formadas 15 tempestades tropicais e sete furacões.

Os meteorologistas da Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera (NOAA, em inglês) dos Estados Unidos previram que esta temporada seria muito ativa, com a possível formação de 14 a 18 tempestades tropicais, das quais entre sete e dez poderiam chegar a se transformar em furacões. EFE so/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG