O mundo inteiro está com o Governo e o povo do Haiti , diz Obama - Mundo - iG" /

O mundo inteiro está com o Governo e o povo do Haiti , diz Obama

Washington, 15 jan (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, reafirmou hoje seu compromisso de continuar ajudando nos esforços humanitários e de reconstrução do Haiti após o terremoto de terça-feira que deixou dezenas de milhares de mortos e feridos.

EFE |

"O mundo inteiro está com o Governo e o povo do Haiti", disse Obama em declarações à imprensa.

Ao destacar a "responsabilidade" dos EUA com o Haiti, Obama reiterou o compromisso de seu Governo para ajudar a longo prazo e agradeceu a solidariedade do povo americano, que, em sua opinião, mostrou "uma compaixão extraordinária" pelos haitianos.

Obama disse também que se reunirá amanhã na Casa Branca com os ex-presidentes Bill Clinton e George W. Bush, que vão liderar os esforços para a arrecadação de fundos do setor privado para a reconstrução do Haiti.

Essa crise humanitária, que castigou o país mais pobre do continente americano, também suscitou a resposta imediata dos setores público e privado, de estrelas de Hollywood e do povo americano através de redes sociais.

A Cruz Vermelha recebeu mais de US$ 5 milhões em doações realizadas por mensagens de texto enviadas por telefones celulares.

A comunidade internacional se dispôs a ajudar o Haiti com tanta generosidade que foi necessário impor restrições aos voos com destino a Porto Príncipe devido ao congestionamento.

O terremoto de 7 graus na escala Richter aconteceu às 19h53 de Brasília da terça-feira e teve epicentro a 15 quilômetros de Porto Príncipe, a capital do país. A Cruz Vermelha do Haiti estima que o número de mortos ficará entre 45 mil e 50 mil.

Na quarta-feira, o primeiro-ministro do país, Jean Max Bellerive, havia falado de "centenas de milhares" de mortos.

O Exército brasileiro confirmou que pelo menos 14 militares do país que participam da Minustah morreram em consequência do terremoto.

A brasileira Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, ligada à Igreja Católica, também morreu no tremor.

Diferente dos dados do Exército, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, aumentou hoje o número de mortos para 17 - considerando as mortes de Luiz Carlos da Costa, funcionário da ONU, e de outro brasileiro não-identificado -, segundo informações da "Agência Brasil". EFE mp/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG