A principal obra do pensamento do filósofo alemão Karl Marx, O Capital, vai ser transformada em musical na China, com estreia prevista para o ano que vem. O estudo político-econômico sobre o capitalismo deverá se transformar em uma colorida narrativa ambientada em uma empresa onde os operários estão insatisfeitos com as condições de trabalho.

Na trama, eles descobrem que estão sendo explorados por um chefe inescrupuloso que só pensa em lucros e se revoltam. Os trabalhadores decidem agir, mas não conseguem chegar a um acordo. Alguns empregados se amotinam, outros tentam barganhar coletivamente, e um terceiro grupo resolve continuar trabalhando.

O show contará com números de dança nos moldes dos musicais da Broadway e de shows de Las Vegas. O diretor da montagem, He Nian, que é conhecido por dirigir cenas de lutas de artes marciais, disse que o musical chinês será "descolado" e incluirá "uma banda ao vivo, danças e canto".

He Nian, entretanto, ressaltou em entrevista ao jornal Wen Hui Bao
que a mensagem será séria e a adaptação primará por fidelidade à ideologia marxista. "O estilo da apresentação não é o que importa, mas sim que as teorias de Marx não sejam distorcidas", disse.

Para tanto, os produtores contrataram como consultor o professor de economia Zhang Jun, que leciona na prestigiosa Universidade Fudan de Xangai. Zhang Jun vai revisar o roteiro para garantir fidelidade às ideias marxistas.

O Ministério de Propaganda, responsável pela censura cultural, ainda não se manifestou sobre a montagem. Mas Yang Shaolin, gerente do Centro de Artes Dramáticas de Xangai, disse ao jornal britânico The Guardian que hoje em dia é possível conduzir uma montagem moderna de "O Capital" com "personagens, elementos dramáticos e significado educacional" graças ao momento de explosão criativa que a China vive.

Leia mais sobre: musical , China

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.