O presidente reeleito do Equador, Rafael Correa, afirmou nesta quarta-feira que não permitirá intromissões externas em seu governo nem a presença de militares estrangeiros no Equador, ao receber do Conselho Nacional Eleitoral a credencial para governar até 2013, depois da reeleição em abril.

"Não queremos, não temos porquê permitir bases militares estrangeiras em nosso solo", disse em referência à saída dos Estados Unidos de uma base equatoriana, a qual será devolvida até 18 de setembro.

Correa havia notificado com antecedência os Estados Unidos de que não renovaria o convênio de cooperação que permitia o uso de uma base militar equatoriana no porto de Manta (sudoeste) para operações aéreas antidrogas desde 2009.

sp/vel/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.