George W. Bush declarou que não estava preparado para a guerra quando assumiu a presidência dos Estados Unidos, e que os erros cometidos pelos serviços de inteligência americanos sobre o Iraque constituem o maior arrependimento de seus oito anos de mandato. Bush falou sobre o assunto em uma entrevista que deve ser divulgada ainda nesta segunda-feira.

"Penso que não estava preparado para a guerra", confessou Bush à rede de televisão ABC.

"Em outras palavras, não fiz campanha dizendo: votem em mim, serei capaz de enfrentar um ataque. Em outros termos, não antecipei a guerra", afirmou, ressaltando a enorme surpresa que representaram os atentados de 11 de setembro, que o levaram a declarar "uma guerra mundial contra o terrorismo".

"O maior arrependimento de toda minha presidência é a falha cometida pela inteligência no Iraque", destacou, referindo-se às armas de destruição em massa que seu governo acusava Saddam Hussein de possuir e que serviram para justificar a contestada invasão ao Iraque, em 2003.

Tais armas não foram encontradas no Iraque depois da queda de Saddam Hussein.

Bush não respondeu à pergunta sobre se teria declarado a guerra ao Iraque mesmo sabendo que Saddam Hussein não tinha armas de destruição em massa.

"É uma pergunta interessante, mas que significaria voltar atrás sobre que fizemos, e isso é algo que não posso fazer", esquivou-se.

Ressaltou, no entanto, que não foi o único a confiar nas informações foernecidas pelos serviços de inteligência americanos, frisando que muitos dirigentes estrangeiros e parlamentares americanos o apoiaram neste sentido.

lal/yw/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.