(Acrescenta novos dados). Pequim/Taipé, 11 ago (EFE).- Após devastar Taiwan e o leste da China, onde causou danos milionários e matou, até o momento, oito pessoas, o tufão Morakot se transformou hoje em tempestade tropical e segue para o norte do gigante asiático.

O tufão, um dos mais violentos das últimas décadas na região, já provocou mais de 90 mortes, a maior parte delas em Taiwan e nas Filipinas, e causou perdas milionárias durante seus cinco dias de atividade.

Segundo os números oficiais chineses, além das oito vítimas fatais contabilizadas nas últimas horas, outras três pessoas desapareceram, pelos menos 11 milhões foram afetadas pelo tufão e um milhão tiveram que ser evacuadas nas províncias de Zhejiang, Fujian, Jiangxi e na ilha tropical de Hainan.

Os novos números apontam que 10 mil casas desabaram e 444.600 hectares de cultivo foram destruídos, informou o Ministério de Assuntos Civis da China.

Os deslizamentos de terra e rochas causados pelas fortes chuvas dificultam, além disso, os trabalhos de resgate.

Zhejiang e as outras províncias chinesas litorâneas passaram por uma rápida urbanização nos últimos anos, com muitos edifícios construídos com baixa qualidade e cuja estabilidade fica comprometida na decorrência de violentos fenômenos meteorológicos.

A estação meteorológica local tinha registrado até 1.241 milímetros de chuva, entre os dias 6 e 10 de agosto, a máxima quantidade causada por um tufão em Zhejiang nos últimos 60 anos, informou hoje a agência "Xinhua".

Por outro lado, em Taiwan, de onde o "Morakot" chegou à China no domingo à tarde, o resgate de centenas de pessoas que ficaram incomunicáveis e soterradas no sul da ilha avança com lentidão, pelas dificuldades de acesso impostas pelo mau tempo.

Aproximadamente 500 estão soterradas na aldeia de Shaolin, onde mais de 150 casas desabaram por deslizamentos de terra de uma montanha próxima, explicou um porta-voz do Serviço Nacional de Bombeiros.

Os serviços de resgate conseguiram salvar 150 moradores de Shaolin e estão voando a dezenas de lugares para levar mantimentos e resgatar os mais necessitados.

Um dos helicópteros de resgate, com três tripulantes a bordo, caiu no distrito de Pintung, no sul do país, enquanto levava mantimentos e recolhia pessoas que estavam ilhadas pelas inundações.

Pelo menos 30 pontes e centenas de estradas foram destruídas parcialmente pelo "Morakot", afirmou o Ministério de Transporte.

O Hotel King Shai, de seis andares, desabou e outros 16 hotéis foram destruídos pelo tufão na ilha, que também danificou mais de 490 escolas, segundo dados da Direção Geral de Turismo e do Ministério da Educação.

Os militares taiuaneses estão cooperando nas operações de resgate nas aldeias de Shaolin e Namashia, no sul do ilha, onde 120 pessoas foram recuperadas, anunciou o Ministério da Defesa.

O Serviço Nacional de Bombeiros assegurou que 200 pessoas estão incomunicáveis em Namashia e 50 em Shiaolin.

Além disso, mais de 300 pessoas passaram a noite no cemitério de Namashia, com a destruição da maior parte da cidade coberta de lama, acrescentou a rede de televisão "TVBS".

As perdas causadas pelo "Morakot" superam os US$ 242 milhões, com a destruição de infraestrutura e equipamento turístico, segundo dados do Ministério de Transporte.

Em Taiwan, o tufão deixou 52 mortos, até o momento, destruiu 49.723 hectares de terreno agrícola e causou a morte de 2,7 milhões de frangos e 80.815 porcos, segundo dados do Conselho de Agricultura. EFE flp-pc-mmp/pd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.