Manifesto do Surrealismo e outras obras de Breton superam os US$ 5 milhões - Mundo - iG" /

Manifesto do Surrealismo e outras obras de Breton superam os US$ 5 milhões

Paris, 21 mai (EFE).- O único manuscrito completo conservado do Manifesto do Surrealismo (1924), de André Breton, foi leiloado hoje, em Paris, como parte de um lote com nove peças únicas do poeta, que superou o valor de US$ 5,4 milhões.

EFE |

O comprador, Gérard Lhéritier, criador do Museu Privado de Cartas e Manuscritos de Paris, onde planeja expor ao público sua aquisição, triplicou com sua oferta, de 3,6 milhões de euros, o preço estimado pelo conjunto dos textos, que era de entre 800 mil euros e 1,2 milhão de euros (entre US$ 1,2 milhão e US$ 1,8 milhão).

Lhéritier utilizou a possibilidade de fazer um único lance para todas as obras para adquirir o conjunto dos nove manuscritos, procedentes da coleção da primeira esposa de Breton, Simone Collinet, e que a casa de vendas pretendia leiloar separadamente.

O colecionador ofereceu 3,616 milhões de euros, com despesas incluídas, de acordo com a casa de leilões.

Desta forma, o comprador acabou com a polêmica suscitada pela Sotheby's, que pretendia leiloar o conjunto das obras que, para muitos críticos, formava um "todo" e por isso não deveriam ser dispersas.

De fato, o "Manuscrito do Surrealismo" foi escrito por Breton inicialmente como prólogo de "Poisson Soluble", sua outra grande experiência de escritura automática e que também fazia parte dos textos oferecidos pela Sotheby's.

A casa de leilões se apoiou na relevância do "Manuscrito do Surrealismo" para dar notoriedade à venda.

O preço inicial do texto sozinho fixado pela Sotherby's era de entre 300 mil euros e 500 mil euros (entre US$ 450 mil e US$ 750 mil) e a melhor oferta foi de 740 mil euros (US$ 1,1 milhão), que não chegou a se concretizar já que todas foram vendidas em conjunto.

A importância do texto manuscrito é que em suas 24 páginas Breton definiu em 1924 "de uma vez por todas" a inspiração e a filosofia do grupo dos surrealistas.

Breton (1896-1966), natural da localidade normanda de Tinchebray, no noroeste da França, presenteou o texto a sua primeira esposa, Simone Collinet (1897-1980), e o manuscrito permaneceu com os membros de sua família.

O "Manifesto do Surrealismo" foi a ponta de lança de um frutífero movimento artístico que reuniu outros literatos, pintores e representantes de outras artes plásticas.

A segunda peça mais importante da venda de hoje foi "Poisson Soluble", um conjunto de poemas que reúne 59 páginas e 32 textos que o criador francês escreveu entre 1921 e 1924 e é considerado como a obra mais ampla que o artista elaborou utilizando a técnica da escritura automática.

O resto das obras são poemas escritos por Breton em cadernos que contêm poesias, resumos e recortes que serviram ao artista como experiência literária. EFE jaf/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG