La Cumparsita faz 91 anos - Mundo - iG" /

La Cumparsita faz 91 anos

Trezentas e sessenta e cinco versões de La Cumparsita serão tocadas, uma por dia, na esquina do centro de Montevidéu onde foi executada em público pela primeira vez, a partir de 19 de abril, quando a famosa música de Gerardo Matos Rodríguez completa 91 anos.

AFP |

"Todos os dias a partir de 19 de abril as pessoas poderão ouvir as versões de "La Cumparsita", uma por dia, na esquina do Palácio Salvo, em frente a Praça Independência, no centro da capital, incorporando publicamente esse patrimônio à cidade de Montevidéo", segundo um comunicado.

A iniciativa, da qual participarão diferentes grupos tradicionais, é impulsionada pelo Departamento da Cultura e da Intendência de Montevidéu como parte do programa "Tango en Obra", em conjunto com os ministérios de Turismo, Educação e Cultura, e da empresa estatal de telecomunicações Antel.

A primeira execução pública de "La Cumparsita", o tango mais difundido no mundo, foi em abril de 1917 na confeitaria "La Giralda", na mesma esquina do Palácio Salvo que a partir do sábado começa a tocar as versões, interpretadas pelo pianista argentino Roberto Firpo.

A peça instrumental é rodeada de polêmica. A princípio a música teria sido composta um ano antes (1916) por Matos, na época com 19 anos, pianista amador e estudante universitário.

Há quem diga que "La Cumparsita" foi composta como hino da Liga Desportiva Universitária; outros dizem que se trata de uma "brincadeira estudantil" do carnaval de 1916, e outros para quem a canção já nasceu como um tango.

O especialista Boris Pugo disse à AFP que a versão de Matos era composta apenas por duas partes e que Firpo acrescentou a terceira. Outros especialistas concordam que a mão de Firpo foi crucial, pois segundo ele mesmo disse, introduziu compassos de um tango próprio, intitulado "La Gaucha Manuela".

Acreditam também outros especialistas que músicos como o pianista Carlos Warren e o "bandoneonista" Minotto Di Cicco, ambos uruguaios, fizeram retoques na composição.

"La Cumparsita" foi uma composição totalmente esquecida até que o argentino Pascual Contursi colocou a primeira letra em 1924, "Si supieras, que dentro de mi alma..." ("Se soubesses, que dentro da minha alma...") para uma peça de teatro chamada "Um programa de cabaré".

Matos, que não autorizara Contursi usar sua composição, cujos direitos havia vendido em 1917 a uma editora por pouco dinheiro, compôs então sua própria letra, "La cumparsa desfila...", e entrou com uma ação judicial, julgada em 1948, depois da morte de ambos, que permitiu a gravação de ambas as versões.

A letra que perdurou foi a de Contursi, versão que Carlos Gardel gravou pela primeira vez em Buenos Aires em 1924 e logo depois na Espanha em 1927.

Apesar de sua fama, o Uruguai a declarou em 1997 "hino cultural e popular", a Argentina a considerou "um dos estandartes da cultura portenha", e, por outro lado, o célebre compositor argentino Astor Piazzola classificou "La Cumparsita" como o "pior de todos os tangos".

yow/cl/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG