Hanna chega à costa sudeste dos EUA e avança rumo ao nordeste - Mundo - iG" /

Hanna chega à costa sudeste dos EUA e avança rumo ao nordeste

Miami, 6 set (EFE).- A tempestade tropical Hanna, que tocou terra hoje nas praias da divisa entre Carolina do Norte e do Sul, avança rapidamente rumo ao nordeste e deve perder suas características tropicais neste domingo.

EFE |

Os meteorologistas do Centro Nacional de Furacões (NHC. em inglês), com sede em Miami, disseram que o olho da tempestade "Hanna" chegou hoje às 4h20 de Brasília à costa sudeste do país com ventos máximos sustentados de 110 km/h e fortes chuvas.

A intensidade dos ventos da tempestade tropical, que esteve a ponto de se transformar em furacão de categoria um antes de chegar à costa dos EUA, diminuiu para 80 km/h, com rajadas mais fortes, segundo o boletim do NHC das 9h de Brasília de hoje.

O olho da tempestade se encontrava nessa hora próximo aos 35,6 graus de latitude norte e 78,1 de longitude oeste, cerca de 30 quilômetros ao nor-noroeste de Goldsboro (Carolina do Norte) e 65 ao lés-sueste de Raleigh (também na Carolina do Norte).

"Hanna", que causou pelo menos 136 mortes na passagem pelo Haiti, se movimenta em direção ao nor-nordeste com uma velocidade de translação de 35 km/h.

Segundo um provável padrão de trajetória, seu olho deve se deslocar pelo leste da Carolina do Norte para seguir, neste domingo, pelo nordeste dos EUA e sudeste do Canadá.

Foi suspenso um aviso de tempestade tropical (passagem da tempestade em 24 horas) de Cabo Fear (Carolina do Norte) até o sul.

Há um aviso de tempestade tropical do norte de Cabo Fear ao rio Merrimack (Massachusetts), incluindo Pamlico, Albemarle Sounds, a baía de Chesapeake, Tidal Potomac, Washington DC, a baía de Delaware, o porto de Nova York, Long Island Sound, Block Island, Martha's Vineyard e Nantucket.

Os especialistas advertiram que as chuvas poderiam causar inundações na Carolina do Norte e em áreas de Nova York e Nova Inglaterra. Também alertaram sobre possível formação de tornados isolados no leste da Carolina do Norte, leste da Virgínia e sul de Maryland.

Enquanto isso, o "extremamente perigoso" furacão "Ike", com categoria três na escala de intensidade Saffir-Simpson (que vai até cinco), se aproxima das ilhas do Caribe.

"Ike" continua representando uma grande ameaça para a Flórida e, segundo o cone de projeção de sua trajetória, poderia tocar terra na terça-feira na região central de Florida Keys, no extremo sul do estado.

O fenômeno apresentava ventos máximos de 185 km/h e "deve se transformar em um furacão maior nas próximas 48 horas", diz o NHC.

Foi ativado um aviso de tempestade tropical para a costa norte da República Dominicana, desde o cabo Francés Viejo até a fronteira norte com o Haiti, e outro no norte deste país, da fronteira norte com a República Dominicana até a localidade haitiana de Gonaives.

Permanece ativado um aviso de furacão para as ilhas Turks e Caicos e para o sudeste das Bahamas.

Os especialistas advertiram que os moradores de Bahamas, Cuba e sul da Flórida devem observar muito de perto o desenvolvimento de "Ike".

O governador da Flórida declarou estado de emergência, devido à ameaça que o fenômeno representa.

Além disso, as autoridades pediram os turistas que estão na região de Florida Keys saiam a partir de hoje do arquipélago, diante da iminente chegada de "Ike".

O olho de "Ike" se encontrava perto dos 22 graus de latitude norte e 67,9 de longitude oeste, aproximadamente 335 quilômetros a leste da ilha Grand Turk.

O fenômeno se desloca rumo ao oés-sudoeste a 26 km/h e "deve manter esta trajetória nas próximas 24 horas, para depois girar e continuar em direção ao oeste neste domingo", disseram os especialistas.

Os meteorologistas prevêem que "Ike" passará perto ou sobre as ilhas Turks e Caicos e pelo sudeste das Bahamas hoje à tarde ou amanhã, e próximo ao litoral norte do leste de Cuba no domingo à noite ou na segunda-feira de manhã.

Já a "Josephine" perdeu força na sexta-feira à noite e tornou-se depressão tropical, e hoje começa a se dissipar.

A depressão tropical está no Atlântico, 1.380 quilômetros ao oeste das ilhas de Cabo Verde, em frente no continente africano, se desloca em direção oés-noroeste a uma velocidade de 14 km/h e apresenta ventos máximos sustentados de 45 km/h. EFE emi/fh/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG