Uma mulher com gripe suína morreu neste final de semana, em Nova York, tornando-se a segunda vítima fatal da gripe suína, rebatizada de gripe A-H1N1 pela Organização Mundial de Saúde, na cidade, e a décima nos Estados Unidos, revelou a imprensa local neste domingo.

A vítima tinha cerca de 50 anos e já apresentava problemas de saúde, segundo o jornal "New York Times", que cita funcionários do departamento de Saúde.

A primeira vítima fatal da "gripe suína" em Nova York foi o subdiretor de uma escola, que também já apresentava outros problemas de saúde.

Segundo o Centro de Controle de Enfermidades, na sexta-feira, antes da segunda morte em Nova York, havia nos Estados Unidos 6.552 casos confirmados de "gripe suína", com nove óbitos.

As autoridades acreditam que pessoas que sofrem de doenças como diabetes ou problemas imunológicos têm maior risco de falecer em consequência da "gripe suína".

A Organização Mundial de Saúde já confirmou mais de 12 mil casos de "gripe suína" , em 43 países, desde o início da epidemia no México, no final de abril.

Leia também:



Entenda a "gripe suína"


Leia mais sobre: gripe suína

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.