Eu não subo lá e tiro minhas roupas só , diz stripper de 80 anos - Mundo - iG" /

Eu não subo lá e tiro minhas roupas só , diz stripper de 80 anos

LAS VEGAS, Nevada ¿ Tempest Storm (Forte Tempestade, em português) está espumando. Seus dedos tremem de frustração. Eles estão velhos, contaminados por artrite e manchados com pintas roxas sob a pele fina. Mas o esmalte laranja é novo e perfeito, da cor de seu cabelo bagunçado, sua marca registrada.

AP |

Ela aplica o blush laranja no rosto enquanto explica como vem sido menosprezada. Ela é uma artista, entende, uma estrela. Ela é fashion. Eu não subo lá e tiro minhas roupas só, diz.

De fato, a stripper de 80 anos se despe bem devagar. Mais de 50 anos atrás, ela era conhecida como a garota com a melhor frente e dita por muitos homens famosos como os melhores suportes de Hollywood.

Desde então, Storm viu à beira da extinção a arte que a fez tão famosa. Suas contemporâneas - Blaze Starr, Bettie Page, Lili St. Cyr ¿ morreram ou se aposentaram. Mas Storm não. Ela ainda se apresenta. Las Vegas, Reno, Palm Springs, Miami, Carnegie Hall. "Não estou pronta para aposentar o fio-dental", dizTempest Storm

AP
"Não estou pronta para aposentar o fio-dental", diz Tempest Storm

Suas apresentações são como uma cápsula do tempo. Ela não sabe nada de postes. Ela nunca colocaria suas nádegas no rosto de um homem. Seus adereços são botas e, ocasionalmente, divãs. Toda a apresentação dura quatro atos, necessários para tirar tudo. Para fazer com classe. Mas os produtores do show desta noite, apenas jovens, querem que ela seja mais rápida.

Leva apenas sete minutos para tirar toda a roupa. Eu fazia em sete minutos quando comecei, conta. Eles colocaram a stripper em confusão ano passado também. Eles até cortaram a música antes de acabar a apresentação. Talvez não aja uma próxima apresentação, diz. Mas a ameaça dura apenas alguns minutos.

Não, não. Eu não estou pronta para aposentar a minha calcinha fio-dental. Eu tenho muitos fãs e não posso desapontá-los.

Elvis e outras celebridades

Estrelato e grupos de fãs fazem parte da vida de Tempest Storm ¿ e seu elegante apartamento de dois quartos em Las Vegas. Os visitantes podem ver fotos de Elvis ainda jovem, seu astro do rock favorito e, segundo diz, antigo namorado. Ele a conheceu depois de um show dela em Las Vegas, fez graça com a saia que ela usava e se apresentou. O namoro terminou um ano depois porque o empresário de Elvis não aprovou a namorada stripper do astro, conta Storm.

Mas ela não poderia mudar quem ela era. A strip-tease já havia feito dela uma mulher famosa e a colocou na mesma sala que artistas de peso como Frank Sinatra, Dean Martin, Mickey Rooney e Nat King Cole.

Ela namorou alguns e com outros apenas dançou. As evidências estão registradas e expostas na mesa e nas paredes da sala de estar. Lá estão Storm e Vic Damone, ensinando Walter Cronkite a dançar, ela e seu quarto e último marido Herb Jefferies, estrela de filmes de cowboy que arrastou a mulher pelos pés em 1957 quando essas uniões eram escândalos instantâneos. Eles se divorciaram em 1970.

Quando eu olho para esta foto, digo o que afinal aconteceu com esse lindo casal? conta.

O momento é breve. Storm raramente é melancólica. Ela não tem dúvida de que continua a mesma pessoa de sempre. Apesar de se apresentar apenas um punhado de vezes durante o ano, ela diz que faria mais apresentações se fosse solicitada. Ela condena aqueles que pensam que a idade interfere no sex appeal. Ridículo, diz reprovando.

Apenas algumas fotos são recentes: Storm e sua filha, enfermeira em Indiana, com seu noivo, morto há alguns anos e com um cavalheiro radiante, apenas um fã que se aproximou para uma foto. Em outras, a bela frágil - com longos chicotes e seu glamoroso cabelo - aparece sozinha, fora de foco, maquiada e com um sorriso largo.

Em uma, ela aparece deitada no sofá da sala de estar, vestindo um terno e um chapéu vermelho. Eu mesma tirei essa foto, diz orgulhosa. Eu tenho uma câmera com timer. Eu tirei essas daqui também.

Fugindo da pobreza

AP
AP
Fotos de Elvis estão penduradas na casa da stripper
É um estilo direto e antes enérgico, a marca de Lillian Hunt, coreógrafa do Teatro Follies, de Los Angeles, onde Storm se tornou uma estrela. Ela era Annie Blanche Banks na época. A filha de fazendeiros de 22 anos fugiu de abuso sexual, dois casamentos sem amor e pobreza na pequena cidade da Georgia, ela comenta.

Ela trabalhava como garçonete, mas queria ser uma dançarina. Primeiro, precisava arrumar seus dentes.

Você acha que meu busto é grande demais para esse negócio? Storm perguntou para Lillian em seu teste, que a colocou na linha do coral, disse para ela não engordar um quilo e chamou um dentista.

De acordo com Storm, não ficou muito tempo no fundo e arrumou um novo nome. (Eu realmente não me sentia como Dia Ensolarado).

Rapidamente ela foi para os holofotes. Antes e agora, ela floresceu ao som de assobios e palmas. O truque é ter uma presença carismática, um sorriso convidativo, afirma. Quando ela sobe no palco, deixa sua mente voar de volta para Georgie.

Storm se imagina como uma criança, em seu melhor vestido, correndo pela estrada para encontrar seu pai voltando do trabalho. Eu me sinto como uma menina toda arrumada. Eu tenho a imagem toda na minha cabeça e posso ver aquela garota, ela diz.

No palco, a imagem se congela lá. Storm não fuma nem bebe e assiste religião na TV.

Aos domingos, ela liga em um canal televangelista que diz que todos podem superar os problemas. É a única religião que ela segue. S

torm acredita que essa é a lição de sua vida. Ser uma sobrevivente. Nunca parar de fazer o que você ama faz o que você é. Se você quer envelhecer, então isso acontecerá, diz.

Houve homens que a desapontaram, problemas financeiros, cirurgia no cérebro. Sou abençoada, acredito. E sei me afastar da mesa.

Se alguns enxergam isso como uma tentativa de recuperar sua juventude perdida, ela diz que pouco se importa. Jovens dançarinas falam que ela é uma inspiração e não há motivos para não acreditar. Eu me sinto bem comigo mesma e gosto disso, ela diz. Eu me divirto quando estou no palco e o público ama. Ninguém nunca me disse que é hora de desistir. Por que parar?

Palmas e assobios

Realmente, ninguém nem sonha em dizer para Tempest Storm que ela deveria desistir de fazer strip-tease quando ela desliza no palco do clube do cassino durante seus sete minutos. Algo na maneira que ela se mexe¿ falam nos alto-falantes. Seu baterista ao vivo, o Ringo Starr emprestado do show de homenagem aos Beatles de Las Vegas, dá a batida.

A rainha do strip aparece à direita do palco. Um vestido colado roxo

AP
AP
Tempest Storm em uma de suas apresentações em Las Vegas
desce de seus ombros. Um colar que imita diamantes cobre seu decote. O boá parecido com uma cobra cai em suas mãos. por alguns segundos, seu rosto mostra sua coragem. E então ela ouve os aplausos.

Quando ela se apresenta, Storm sorri, se inclina e anda sob seus calcanhares, guiando com sua pélvis. Suas mãos vão para frente e para trás como se estivessem na água, até que elas caem atrás de seu quadril.

Mais aplausos. Assobios.

Então o boá desaparece. Depois, Storm tira suas luvas e desce do palco para colocar a lingerie, que sai tão rápido quanto veio.

E com dois petelecos de suas unhas laranjas, o vestido sai também.

Mais assobios, gritos, aplausos.

Olhando para a mulher de 80 anos com meia-calça arrastão, um brilhante sutiã que imita diamantes e um fio-dental, uma jovem mulher vira para um rapaz e declara: quero estar assim quando tiver a idade dela.

Leia mais sobre: strip-tease

    Leia tudo sobre: strip teasestrip-tease

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG