Washington, 30 nov (EFE).- A nave espacial Endeavour e seus sete astronautas retornaram hoje sãos e salvos à Terra, após uma missão de 16 dias encaminhada a remodelar e ampliar o espaço habitável da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês).

A nave aterrissou às 4h25 hora local (19h25 de Brasília) na Base da Força Aérea Edwards, no Deserto de Mojave (Califórnia).

O retorno da "Endeavour" à Terra foi impecável, apesar de não isento de problemas, dado que três horas antes, a Nasa teve que suspender seus planos para a aterrissagem nas pistas do Centro Espacial Kennedy, em Cabo Canaveral (Flórida), devido ao mau tempo.

A nave levantou fumaça quando parou na pista 0-4 da base aérea, uma conseqüência da fase mais perigosa do retorno, o reingreso na atmosfera, na qual a nave suporta temperaturas de várias centenas de graus Celsius.

O comandante Christopher Ferguson foi o encarregado de dirigir a nave até a Base da Força Aérea Edwards, onde a tripulação da "Endeavour" foi recebida com um efusivo "bem-vindos outra vez" pelo Controle de Missão no Centro Espacial Johnson, em Houston.

A nave aterrissou depois de 250 órbitas e após ter percorrido 10,6 milhões de quilômetros no espaço.

"Estamos encantados de estar aqui, na Califórnia", respondeu Ferguson aos responsáveis da missão STS-126.

A tripulação da nave recebeu também as felicitações da Nasa por uma "aterrissagem perfeita" e por ter cumprido uma "bem-sucedida" missão na ISS.

A equipe da "Endeavour" esperava poder aterrissar no Centro Espacial Kennedy de Cabo Canaveral, onde os parentes esperariam os sete astronautas.

A aterrissagem na Califórnia significa que a tripulação do "Endeavour", incluindo Greg Chamitoff, que retornou à Terra após viver seis meses na ISS, tenha que esperar um dia mais para poder voltar à Flórida e ver seus familiares.

A Base da Força Aérea Edwards não era utilizada para a aterrissagem de uma nave espacial desde junho de 2007, e a mudança de planos representa uma despesa adicional de US$ 1,8 milhão para a Nasa, que tem que transportar a "Endeavour" para a Flórida, uma tarefa complicada que pode levar uma semana.

Ferguson reconheceu minutos antes de aterrissar que o Controle da Nasa em Houston havia tomado a decisão correta ao obrigar o "Endeavour" a se para a Califórnia.

"Acho que o senhor atuou bem", disse o comandante quando sobrevoava Houston e pôde ver o mau tempo que fazia na Flórida.

O retorno à Terra da "Endeavour" pôs fim a uma missão de 16 dias, que começou no dia 14 de novembro.

A nave levou à ISS alimentos, equipamentos para ampliar seus espaços habitáveis, instalações para exercícios físicos, móveis e utensílios de cozinha e um sistema para reciclar da urina dos astronautas.

O objetivo central da missão, na qual se efetuaram quatro caminhadas espaciais, foi ampliar o espaço habitável da ISS para que possa abrigar seis ocupantes, e revisar e lubrificar as juntas rotatórias dos painéis solares que fornecem energia à estação.

Além destas tarefas, os astronautas instalaram um "controle ambiental regenerativo" que recicla a urina dos astronautas e a condensação do ar para transformá-la em água potável que poderá ser bebida e utilizada para esfriar os sistemas da nave.

A tripulação da "Endeavour" voltou à Terra com sete litros de urina reciclada e condensações para provas.

A nave deixou para trás Sandra Magnus, que substitui Chamitoff na ISS, cujos outros ocupantes são o astronauta russo Yury Lonchakof e o comandante americano Michael Fincke. EFE cae/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.