entregue ao pai americano David Goldman para que viva com ele nos Estados Unidos. Ele criticou a decisão dos governos brasileiro e americano: ¿é uma desumanidade ele embarcar sem a garantia de que a avó poderá visitá-lo nos Estados Unidos¿." / É uma desumanidade S. viajar sem garantia de que a avó poderá visitá-lo , diz advogado - Mundo - iG" / entregue ao pai americano David Goldman para que viva com ele nos Estados Unidos. Ele criticou a decisão dos governos brasileiro e americano: ¿é uma desumanidade ele embarcar sem a garantia de que a avó poderá visitá-lo nos Estados Unidos¿." /

É uma desumanidade S. viajar sem garantia de que a avó poderá visitá-lo , diz advogado

RIO DE JANEIRO ¿ O advogado da família do garoto S.G., Sérgio Tostes, falou com jornalistas logo após o menino ser http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2009/12/24/sg+deve+ser+entregue+ao+consulado+americano+ate+9h+de+hoje+9255132.html target=_topentregue ao pai americano David Goldman para que viva com ele nos Estados Unidos. Ele criticou a decisão dos governos brasileiro e americano: ¿é uma desumanidade ele embarcar sem a garantia de que a avó poderá visitá-lo nos Estados Unidos¿.

Rodrigo de Almeida, iG Rio de Janeiro |

AP
S. chega a consulado com o padrasto

S. foi entregue ao pai no consulado americano no Rio de Janeiro nesta manhã e embarcou no aeroporto do Galeão por volta das 11h50. A família não foi até o aeroporto com o garoto.

Segundo Tostes, a avó materna, Silvana Bianchi, e o padrasto, João Paulo Lins e Silva, não devem ir aos Estados Unidos sem antes ter a certeza de que poderão ver a criança. A família só vai certa de que poderá visitá-lo e que não será humilhada, disse.

O advogado fez ainda um apelo às autoridades para que intercedam em favor das visitas. Queremos que o governo americano dê o mesmo do tratamento que foi dado pelo governo brasileiro ao David Goldman, afirmou, acrescentando que a família do garoto se sentiu constrangida pela forma como foi tratada.

Enquanto David chegou ao consulado com escolta policial e entrou pela garagem, a família veio em um carro particular e precisou pará-lo na rua, enfrentando forte tumulto de jornalistas e cinegrafistas. O advogado negou que a Embaixada tenha oferecido à família entrada pela garagem também. Ninguém falou isso. Até que provem o contrário estão mentindo, disse.

Além de recorrer ao governo, Tostes afirma que a família contratará advogados americanos para garantir o direito de ver o menino.

Choro e tristeza no Natal

Conforme Tostes, S. chorou muito dentro do consulado e teve febre na madrugada desta quinta-feira. Ele lamentou a impossibilidade de realizar uma transição menos traumática com a criança.

Todas as tentativas de fazer uma transição gradual não foram acolhidas. Com muito custo, a avó pôde acompanhar S. até a sala onde estava David, mas não teve tempo para explicar quais remédios ele tomava, como era seu comportamento, alimentação. Nada, afirmou.

O advogado evitou comentar a decisão do ministro Gilmar Mendes, que determinou que o garoto fosse levado aos Estados Unidos, cassando a liminar do colega Marco Aurélio Mello, que deixava-o no Brasil. Mas, disse que todos que têm sensiblidade ficaram muito tristes. Espero só que o David não desembarque com S. como se fosse um troféu e não explore a imagem dele.

Leia mais sobre: S.G.

    Leia tudo sobre: sean goldman

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG